Há Courtois, Alderweireld, Verthongen, Kompany, Fellaini, Dembélé, De Bruyne, Eden Hazard, Lukaku, Benteke e Batshuayi. E ainda podíamos juntar Mignolet, Defour, Chadli ou Mirallas. Pontos em comum? Jogam todos na seleção belga, jogam todos na Premier League, vão jogar todos contra adversários que conhecem bem de Inglaterra: num dos duelos mais fortes da fase de grupos, os Três Leões terão pela frente 11 Diabos Vermelhos à solta.

O Campeonato da Europa Sub-21 de 2007, na Holanda, deixou o primeiro sinal: estava ali uma geração acima da média da Bélgica. Mas não era única, longe disso. Não que isso se tenha traduzido em títulos nas camadas jovens, mas criou jogadores que estão agora em algumas das melhores equipas do mundo. Esse é o maior desafio de Roberto Martínez, o técnico que agarrou na equipa em 2016 e teve um autêntico passeio na qualificação para o Mundial: dar outra vida a um conjunto com um guarda-redes de topo (Courtois), uma defesa batida (Kompany, Vertonghen, Alderweireld, Vermaelen, Meunier ou Boyata), um meio-campo fantasista (Witsel, Dembélé, Chadli, Nainggolan, Fellaini ou De Bruyne) e um ataque mortífero (Hazard, Mertens, Lukaku, Mirallas, Origi, Batshuayi, Yannick Carrasco ou Benteke) que procura a afirmação.

No entanto, todo o trabalho base que tem sido feito pela Inglaterra começa a render frutos, com vários títulos europeus e mundiais nas camadas jovens a renderem também opções para Gareth Southgate, o técnico que tem como principal objetivo recolocar os britânicos nas fases de decisão do Mundial. Para fechar o grupo, existem ainda Tunísia e Panamá. Mas aqui, mais do que em qualquer outro grupo, o fosso entre favoritos e outsiders parece ser demasiado grande para haver grandes surpresas.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

O BI do grupo G do Campeonato do Mundo em sete pontos

BÉLGICA
Alcunha: Les Diables Rouges (Os Diabos Vermelhos)
Participações no Mundial e melhor classificação: 12.ª participação (4.º lugar em 1986)
Qualificação (Europa): 1.º lugar do grupo H com 28 pontos em 10 jogos (Chipre, 3-0 fora e 4-0 em casa; Bósnia, 4-0 em casa e 4-3 fora; Gibraltar, 6-0 fora e 9-0 em casa; Estónia, 8-1 em casa e 2-0 fora; Grécia, 1-1 em casa e 2-1 fora)
Treinador: Roberto Martínez (espanhol)
Estrela: Eden Hazard (Chelsea)
Goleador: Romelu Lukaku (Manchester United)
Promessa: Youri Tielemans (Mónaco)

INGLATERRA
Alcunha:
The Three Lions (Os Três Leões)
Participações no Mundial e melhor classificação: 15.ª participação (campeã em 1966)
Qualificação (Europa): 1.º lugar no grupo F com 26 pontos em 10 jogos (Eslováquia, 1-0 fora e 2-1 em casa; Malta, 2-0 em casa e 4-0 fora; Eslovénia, 0-0 fora e 1-0 em casa; Escócia, 3-0 em casa e 2-2 fora; Lituânia, 2-0 em casa e 1-0 fora)
Treinador: Gareth Southgate (inglês)
Estrela: Dele Alli (Tottenham)
Goleador: Harry Kane (Tottenham)
Promessa: Marcus Rashford (Manchester United)

TUNÍSIA
Alcunha:
As Águias do Cártago
Participações no Mundial e melhor classificação: 5.ª participação (fase de grupos em 1978)
Qualificação (África): vitória na 2.ª ronda (Mauritânia, 2-1 fora e 2-1 em casa) e 1.º lugar no grupo A da 3.ª fase com 14 pontos em 6 jogos (Guiné, 2-0 em casa e 4-1 fora; Líbia, 1-0 fora e 0-0 em casa; RD Congo, 2-1 em casa e 2-2 fora)
Treinador: Nabil Maaloul (tunisino)
Estrela: Aymen Abdennour (Marselha)
Goleador: Youssef Msakni (Al-Duhail)
Promessa: Bassem Srarfi (Nice)

PANAMÁ
Alcunha: Los Canaleros (Os Rapazes do Canal)
Participações no Mundial e melhor classificação: 1.ª participação
Qualificação (América do Norte e Caraíbas): 2.º lugar no grupo B da 4.ª fase com 10 pontos em 6 jogos (Jamaica, 2-0 fora e 2-0 em casa; Costa Rica, 1-2 em casa e 1-3 fora; Haiti, 0-0 fora e 1-0 em casa) e 3.º lugar na 5.ª fase (Honduras, 1-0 fora e 2-2 em casa; México, 0-0 em casa e 0-1 fora; Trinidad e Tobago, 0-1 fora e 3-0 em casa; EUA, 1-1 em casa e 0-4 fora; Costa Rica, 0-0 fora e 2-1 em casa)
Treinador: Hernán Gómez Jaramillo (colombiano)
Estrela: Blas Pérez (Municipal)
Goleador: Blas Pérez (Municipal)
Promessa: Fidel Escobar (New York Red Bulls)