A Polónia era, antes do sorteio, aquele cabeça-de-série que, a par da Rússia, mais equipas deveriam desejar. E percebe-se, na teoria, o porquê: não tem tanta rodagem nestas andanças das fases finais, não tem propriamente um grande historial nos Campeonatos do Mundo e, à exceção de Lewandowski, não tem assim tantos nomes temíveis para os adversários diretos. No entanto, a prestação no último Campeonato da Europa com aquela que é praticamente a mesma seleção que estará no Mundial de 2018 deixou um aviso (quartos-de-final com Portugal, onde caiu nas grandes penalidades): com um coletivo muito forte, uma defesa certinha a quem é complicado marcar golos e um ataque com mais do que o ponta-de-lança do Bayern, os polacos beneficiam da condição de cabeça-de-série bem “trabalhada” para poderem almejar, pelo menos, aos quartos-de-final, naquela que, confirmando-se esse cenário, seria a melhor participação desde o terceiro lugar em 1982.

Ainda assim, este grupo H é daquele tipo de grupos mais aberto, onde as quatro equipas têm todas hipóteses (umas mais, outras menos) de passar aos oitavos-de-final: a Colômbia apurou-se na última jornada da qualificação sul-americana mas tem uma equipa, sobretudo do meio-campo para a frente, capaz de destacar-se; o Senegal, com Sadio Mané como grande estrela, é apontada como a formação africana com mais hipóteses de passar a fase de grupos; e o Japão, apesar da irregularidade no apuramento, é das seleções asiáticas mais fortes.

Por isso, este será um grupo próprio para os goleadores brilharem e existem três que estarão aqui em destaque: além de Lewandowski, ainda há Radamel Falcao (Colômbia/Mónaco) ou Okazaki (Japão/Leicester). Ou outro herói, daqueles que aparecem em Mundiais. Porque existe um outro ponto interessante neste grupo H: é o único que não tem nenhuma antiga campeã mundial em edições anteriores.

O BI do grupo H do Campeonato do Mundo em sete pontos

POLÓNIA
Alcunha: Orly (As Águias)
Participações no Mundial e melhor classificação: 8.ª participação (3.º lugar em 1974 e 1982)
Qualificação (Europa): 1.º lugar no grupo E com 25 pontos em 10 jogos (Cazaquistão, 2-2 fora e 3-0 em casa; Dinamarca, 3-2 em casa e 0-4 fora; Arménia, 2-1 em casa e 6-1 fora; Roménia, 3-0 fora e 3-1 em casa; Montenegro, 2-1 fora e 4-2 em casa)
Treinador: Adam Nawalka (polaco)
Estrela: Robert Lewandowski (Bayern)
Goleador: Robert Lewandowski (Bayern)
Promessa: Arkadiusz Milik (Nápoles)

COLÔMBIA
Alcunha:
Los Cafetetos (Os Cafeteros)
Participações no Mundial e melhor classificação: 6.ª participação (Quartos-de-final em 2014)
Qualificação (América do Sul): 4.º lugar com 27 pontos em 18 jogos (Peru, 2-0 em casa e 1-1 fora; Uruguai, 0-3 fora e 2-2 em casa; Chile, 1-1 fora e 0-0 em casa; Argentina, 0-1 em casa e 0-3 fora; Bolívia, 3-2 fora e 1-0 em casa; Equador, 3-1 em casa e 2-0 fora; Venezuela, 2-0 em casa e 0-0 fora; Brasil, 1-2 fora e 1-1 em casa; Paraguai, 1-0 fora e 1-2 em casa)
Treinador: José Pékerman (argentino/colombiano)
Estrela: Radamel Falcao (Mónaco)
Goleador: Radamel Falcao (Mónaco)
Promessa: Davinson Sánchez (Tottenham)

SENEGAL
Alcunha: Os Leões de Teranga
Participações no Mundial e melhor classificação: 2.ª participação (Quartos-de-final em 2002)
Qualificação (África): vitória na 2.ª ronda (Madagascar, 2-2 fora e 3-0 em casa) e 1.º lugar do grupo D da 3.ª fase com 14 pontos em 6 jogos (Cabo Verde, 2-0 em casa e 2-0 fora; África do Sul, 2-0 fora e 2-1 em casa; Burquina Faso, 0-0 em casa e 2-2 fora)
Treinador: Aliou Cissé (senegalês)
Estrela: Sadio Mané (Liverpool)
Goleador: Moussa Sow (Shabab Al-Ahli)
Promessa: Keita Baldé (Mónaco)

JAPÃO
Alcunha: Os Samurais Azuis
Participações no Mundial e melhor classificação: 6.ª participação (oitavos-de-final em 2002 e 2010)
Qualificação (Ásia): 1.º lugar no grupo E da 2.ª fase com 22 pontos em 8 jogos (Singapura, 0-0 em casa e 3-0 fora; Cambodja, 3-0 em casa e 2-0 fora; Afeganistão, 6-0 fora e 5-0 em casa; Síria, 3-0 fora e 5-0 em casa) e 1.º lugar no grupo B da 3.ª fase com 20 pontos em 10 jogos (EAU, 1-2 em casa e 2-0 fora; Tailândia, 2-0 fora e 4-0 em casa; Iraque, 2-1 em casa e 1-1 fora; Austrália, 1-1 fora e 2-0 em casa; Arábia Saudita, 2-1 em casa e 0-1 fora)
Treinador: Vahid Halihodzic (bósnio)
Estrela: Shinji Kagawa (B. Dortmund)
Goleador: Shinji Okazaki (Leicester)
Promessa: Takuma Asano (Estugarda)

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR