A comissão de Saúde do Parlamento Europeu chumbou esta semana uma proposta da Comissão Europeia para permite a utilização de fosfatos para preservação da carne, escreve este domingo o jornal espanhol El País.

Isto pode dizer pouco à maioria da população, mas há um detalhe fundamental que muda tudo. É que estes fosfatos são indispensáveis para a conservação dos rolos de carne usados para os famosos kebabs. Por outras palavras: se o plenário do Parlamento Europeu der seguimento a esta resolução aprovada pela comissão de Saúde, será o fim dos kebabs na União Europeia.

Aprovada na terça-feira com 32 votos a favor e 22 contra, a resolução da comissão de Saúde do Parlamento Europeu é desfavorável a uma proposta da Comissão Europeia que pretende permitir a utilização de ácido fosfórico, fosfatos e polifosfatos na conservação da carne.

Estes produtos são necessários para manter a carne dos kebabs tenra e para preservar o sabor característico daquele tipo de carne, quer no transporte quer no assador, detalha o jornal espanhol.

O kebab, um prato culturalmente originário da Turquia, popularizou-se na década de 1970, como comida de rua, em Berlim. Hoje, há mais de 200 mil pessoas a trabalhar em restaurantes de kebabs em toda a Europa. Só no Reino Unido são vendidos todos os dias 1,3 milhões de kebabs, segundo dados do jornal The Guardian.

A comissão de Saúde do Parlamento Europeu argumenta a proibição com estudos científicos que relacionam a utilização deste tipo de aditivos com o aumento dos riscos de problemas cardiovasculares.