Rádio Observador

Futebol

AF Aveiro. Após a agressão a um jogador, um treinador e um agente, o murro num árbitro

Algo vai mal nos Distritais de Aveiro: após uma semana que teve agressões a um jogador, a um treinador e a um agente, Beira-Mar-U. Lamas foi interrompido ao intervalo depois de um murro a um árbitro.

ANTÓNIO COTRIM/LUSA

Algo vai mal no “reino” de Aveiro. Mais concretamente, no “reino” da Divisão de Elite dos Distritais da Associação de Futebol de Aveiro: depois de uma jornada que tinha sido marcada por agressões a um jogador, a um treinador e a um agente (em jogos distintos), foi a vez do Beira-Mar-U. Lamas terminar também da pior forma, sendo interrompido ao intervalo após a agressão ao árbitro Leonardo Marques quando ia para o balneário.

O momento, bem visível nestas imagens, mostra a contestação dos aveirenses (que perdiam por 1-0 no final dos primeiros 45 minutos num jogo que decidiria o segundo classificado, atrás do líder Lusitânia de Lourosa) à equipa de arbitragem até ao momento em que os juízes se aproximam do túnel de acesso aos balneários, altura em que um adepto com as cores dos visitados desce algumas escadas até à boca do túnel e consegue acertar um murro em Leonardo Marques.

A PSP foi chamada ao local para identificação do adepto que agrediu o árbitro e o encontro acabou mesmo por ser interrompido, aguardando-se agora a decisão da Associação de Futebol de Aveiro, mediante o relatório não só dos árbitros, mas também das forças de segurança que estavam no local.

De referir que, na passada semana, a 11.ª jornada da Divisão de Elite da AF Aveiro tinha sido marcada por uma série de incidentes: no U. Lamas-Lusitânia de Lourosa, um jogador da equipa da casa, Marcelo, foi agredido por um adepto visitante após uma invasão de campo na sequência do segundo golo dos líderes da prova (a partir do 1.14.00 no vídeo em baixo); no Paivense-Beira-Mar, Cajó, treinador dos visitantes, foi agredido por um adepto da casa (sendo depois expulso quando saiu da sua área técnica quando queria abordar o árbitro sobre esse episódio, segundo o próprio); e no Ovarense-Alba, depois da intervenção das forças policiais para separar jogadores das duas equipas na parte final do encontro, com um jogador do Alba a agredir um elemento da PSP no túnel de acesso aos balneários.

Acrescente-se que, também este fim-de-semana, houve um jogo da 2.ª Divisão Distrital da Associação de Futebol de Lisboa, o Casainhos-U. Mercês, que foi suspenso com apenas 19 minutos realizados após uma agressão de um jogador dos visitantes a um árbitro, enquanto que, na Divisão de Honra da AF Porto, houve uma agressão de um jogador a um adepto no Pasteleira-FC Foz. Mas estes podem não ter sido os únicos casos a nível de futebol distrital, além dos incidentes que marcaram o final do encontro entre Académica e Famalicão, da Segunda Liga.

Não queremos ser todos iguais, pois não?

Maio de 2014, nasceu o Observador. Junho de 2019, nasceu a Rádio Observador.

Há cinco anos poucos acreditavam que era possível criar um novo jornal de qualidade em Portugal, ainda por cima só online. Foi possível. Agora chegou a vez da rádio, de novo construída em moldes que rompem com as rotinas e os hábitos estabelecidos.

Nestes anos o caminho do Observador foi feito sem compromissos. Nunca sacrificámos a procura do máximo rigor no nosso jornalismo, tal como nunca abdicámos de uma feroz independência, sem concessões. Ao mesmo tempo não fomos na onda – o Observador quis ser diferente dos outros de órgãos de informação, porque não queremos ser todos iguais, nem pensar todos da mesma maneira, pois não?

Fizemos este caminho passo a passo, contando com os nossos leitores, que todos os meses são mais. E, desde há pouco mais de um ano, com os leitores que são também nossos assinantes. Cada novo passo que damos depende deles, pelo que não temos outra forma de o dizer – se é leitor do Observador, se gosta do Observador, se sente falta do Observador, se acha que o Observador é necessário para que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia, então dê o pequeno passo de fazer uma assinatura.

Não custa nada – ou custa muito pouco. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: broseiro@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)