A justiça argentina emitiu esta quinta-feira um mandado de detenção da antiga Presidente do país, Cristina Kirchner. A notícia está a ser avançada pela AFP citando fonte judicial.

Em causa está uma acusação por crimes de associação ilícita e administração fraudulenta ligados à adjudicação de obras públicas aprovadas durante o seu tempo à frente do país.

Kirchner é acusada de ter favorecido o grupo Austral Construcciones nos concursos de atribuição de contratos para a construção de obras públicas.

Argentina. Ex-presidente Cristina Kirchner acusada de corrupção

O processo complica-se na medida em que o líder do grupo, Lázaro Báez, está a ser julgado por suspeitas de lavagem de dinheiro.

Há outros governantes e ex-governantes envolvidos no processo, incluindo Carlos Kirchner, subsecretário de Coordenação das Obras Públicas e primo do ex-Presidente Nestor Kirchner, marido de Cristina Kirchner, a quem ela sucedeu, Julio De Vido, ex-ministro do Planeamento, e Amado Boudou, vice-Presidente de 2011 a 2015.

Recentemente, a antiga governante tinha rejeitado todas as acusações de que era alvo.

Ex-Presidente argentina Cristina Kirchner rejeita acusações de crimes económicos