A nova família de motores franceses inclui para já três versões, referidos como Energy TCe 115, 140 e 160, indicando desde logo as respectivas potências. São todos a gasolina, com 1,3 litros de capacidade, sobrealimentados por um turbocompressor e possuem injecção directa de gasolina, obedecendo aos standards da Aliança Renault-Nissan-Mitsubishi, bem como da Daimler, ou seja, Mercedes e Smart.

A nova família de motorizações visa, acima de tudo, propor uma solução com mais potência, mas menor consumo e emissões nocivas, permitindo que esta solução a gasolina se aproxime do menor “apetite” tradicionalmente revelado pelos diesel. Tal foi conseguido após mais de 40.000 horas de testes, mas também graças às mais recentes tecnologias para atingir a desejável “dieta”. Assim, os novos motores Energy recorrem a uma tratamento de superfície do interior dos cilindros através de spray, similar ao que a Nissan utiliza no GT-R, que reduz as perdas de rendimento por fricção e facilita as trocas de temperatura. A pressão da injecção directa de gasolina subiu para 250 bar, enquanto um desenho específico da câmara de combustão explora o novo potencial da injecção, melhorando a mistura ar/gasolina.

Igualmente importante é a adopção da Dual Variable Timing Camshaft, sistema que comanda a abertura e fecho, tanto das válvulas de admissão como de escape, adaptando-as ao tipo de utilização do motor em cada momento e, sobretudo, à situação de carga a que está sujeito. Isto explica que, por exemplo, o novo Energy TCe 140 forneça mais 35 Nm de “força”, com o binário a ser disponibilizado numa maior gama de rotações, que passa a estender-se das 1.500 às 3.500 rpm.

Os novos motores podem estar acoplados a caixas manuais de seis velocidades ou automáticas de dupla embraiagem EDC, sendo que conseguem reduzir em 11 gramas as emissões de CO2 no Grand Scénic, quando comparado com as versões actuais com potências similares. O Energy TCe 115 fornece 115 cv e 220 Nm de binário, logo às 1.500 rpm, com o Energy TCe 140 a anunciar um consumo médio de 5,4 l/100 km, a que correspondem 122 g de CO2 por quilómetro. O Energy TCe 160 fornece 270 Nm quando associado à EDC (com a caixa manual está limitado a 260 Nm), valor constante entre as 1.750 e as 3.700 rpm.