A Proteção Civil decretou um alerta laranja para todo o território continental, devido ao mau tempo — chuva intensa e ventos fortes, que podem superar os 100 km/h. Desde as 18h deste domingo que o mau tempo se agravou e “estamos neste momento a entrar no período mais complexo”, afirmou o comandante Luís Belo Costa da Proteção Civil. A tempestade já causou, até ao momento, uma vítima mortal e três feridos.

Até às oito horas da noite foram registadas pela Proteção Civil 389 quedas de árvores, seis movimentos de terra, 37 inundações, 92 quedas de estruturas, 56 limpezas de vias, enumerou o responsável em conferência de imprensa pelas 20h. Um incidente com a queda de uma árvore em Marco de Canaveses causa uma vítima mortal e dois feridos ligeiros. A Proteção Civil referiu mais um incidente com um ferido ligeiro, mas não especificou o local.

A fase mais crítica irá durar até às 6 horas da manhã de segunda-feira, segundo informações da autoridade. A chuva durante a noite deste domingo será intensa e existirão ventos extremos. A Proteção Civil já se reuniu este domingo por duas vezes com o Instituto Português de Meteorologia e da Atmosfera (IPMA), “tendo sido determinado o alerta laranja para todo o país”, afirmou Luís Belo Costa.

Foram ainda deixadas à população recomendações pelo responsável da Proteção Civil: “Não permanecer em sítios arborizados ou transitar em locais muito arborizados para se prevenir de eventuais acidentes”. A autoridade avisou também para se recolher, se possível, “estruturas que não estejam bem fixadas, como andaimes e outdoors“, entre outros.