Escultura

Obras que representaram Portugal em Veneza expostas em Matosinhos a partir de sábado

183

As obras de José Pedro Croft que representaram Portugal na Bienal de Arte de Veneza este ano estão em montagem na Real Vinícola, em Matosinhos, para preparar a inauguração da sua exposição.

ESTELA SILVA/LUSA

Autor
  • Agência Lusa

As obras de José Pedro Croft que representaram Portugal na Bienal de Arte de Veneza este ano estão em montagem na Real Vinícola, em Matosinhos, para preparar a inauguração da sua exposição, no sábado, anunciou a câmara local.

Fonte da Câmara Municipal de Matosinhos, entidade que adquiriu as peças de “Medida Incerta”, disse à Lusa que a inauguração vai ter lugar às 17h00 de sábado.

Em termos de dimensão, a maior das esculturas tem 3,4 metros de altura e o conjunto de peças totaliza 140 toneladas.

A exposição “Medida Incerta”, de José Pedro Croft, que representou Portugal na Bienal de Arte de Veneza deste ano, recebeu um total de 16.110 visitantes entre maio e novembro.

Portugal participou com seis esculturas criadas pelo artista José Pedro Croft, através do projeto “Medida Incerta”, com curadoria do historiador de arte João Pinharanda. O conjunto ficou instalado na Villa Hériot, na Ilha de Giudecca.

O projeto “Medida Incerta” é descrito como uma “desconstrução do plano e da ortogonalidade, um jogo entre a objetividade do espaço e a sua ilusão, um desafio à sua estabilidade e equilíbrio”.

No final de março, quando a escultura foi montada na Póvoa de Varzim, foi conhecida a aquisição da obra pela Câmara Municipal de Matosinhos e a sua localização futura, após o regresso de Veneza, na paisagem da Casa da Arquitetura, na antiga Real Vinícola.

A obra de José Pedro Croft está representada em diversas coleções públicas e privadas, nomeadamente no Banco Central Europeu, em Frankfurt (Alemanha), no Museu Rainha Sofia, em Madrid (Espanha), no Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro (Brasil) e na Coleção Albertina, em Viena (Áustria).

Em Portugal, está presente nas coleções da Caixa Geral de Depósitos, da Fundação Calouste Gulbenkian e do Museu Berardo, em Lisboa, na coleção António Cachola, no Museu de Arte Contemporânea de Elvas, e na Fundação de Serralves, no Porto, entre outras.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Impostos

Ode ao Portal das Finanças

José Miguel Pinto dos Santos

Pode ser que o Portal das Finanças tenha reduzido atritos entre cobradores e contribuintes, mas uma carga fiscal excessiva continuará sempre a gerar fuga aos impostos através de uma economia paralela

Só mais um passo

Ligue-se agora via

Facebook Google

Não publicamos nada no seu perfil sem a sua autorização. Ao registar-se está a aceitar os Termos e Condições e a Política de Privacidade.

E tenha acesso a

  • Comentários - Dê a sua opinião e participe nos debates
  • Alertas - Siga os tópicos, autores e programas que quer acompanhar
  • Guardados - Guarde os artigos para ler mais tarde, sincronizado com a app
  • Histórico - Lista cronológica dos artigos que leu unificada entre app e site