A Polícia moçambicana deteve 71 garimpeiros no centro do país numa nova operação contra o saque de minerais na zona de Chiuala, Barue, na província de Manica, disse esta segunda-feira à Lusa fonte da corporação.

Os detidos são todos moçambicanos e durante a operação realizada na quinta-feira foram ainda apreendidos “vários instrumentos”, tais como motobombas, pás e picaretas, além de algum dinheiro, referiu Elcidia Filipe, porta-voz da Polícia de Manica.

Supõe-se que o montante apreendido, 30.950 meticais (436 euros) resulte da venda de ouro a estrangeiros.

“O garimpo ilegal é punível nos termos da lei”, recordou a porta-voz da polícia, referindo que “os cidadãos precisam de estar vigilantes” para “evitar o saque dos recursos naturais”.

Na zona de Manica, onde foram feitas as detenções, há ouro e pedras preciosas, tais como turmalinas de muitas variedades, incluindo as mais raras, de cor rosa e verde, que outrora atraíram milhares de estrangeiros para a região.

Há menos de duas semanas a Polícia fez uma outra operação e deteve pelo menos 15 garimpeiros em explorações ilegais de ouro no interior da reserva transfronteiriça de Chimanimani, distrito de Sussundenga, na mesma província.

O saque e o contrabando de pedras preciosos, envolvendo garimpeiros, continua a ser uma das preocupações da Polícia, que luta para travar uma atividade intensa e enraizada na província de Manica, que atrai para a zona garimpeiros zimbabueanos e dos grandes lagos.