O car sharing continua a ser, segundo os especialistas em mobilidade sustentada (se realizada com veículos eléctricos), uma das melhores soluções para deslocar pessoas nas grandes cidades. Por um lado, oferecendo custos competitivos, por outro, retirando milhares de veículos particulares do trânsito e dos estacionamentos nos centros urbanos, uma vez que a esmagadora maioria dos automóveis particulares passa mais de 90% estacionado. Foi exactamente com este propósito que a Renault e a Ferrovial, um operador de serviços urbanos, juntaram mãos, criando a Zity.

Operando no centro de Madrid, a Zity visa disponibilizar veículos a quem pretenda deslocar-se do ponto A ao B, seja para ir trabalhar, para chegar à universidade, ir a uma reunião ou, pura e simplesmente, às compras. Em vez de se deslocar em viatura própria, o utilizador tem apenas de recorrer a uma aplicação para ver onde está o Zoe da Zity mais próximo, alugando-o para o trajecto que pretende realizar. E, uma vez chegado ao local, abandonar o veículo e pagar pela distância percorrida, valor que a empresa garante ser muito competitivo.

Madrid já possui uma das percentagens mais elevadas de car sharing na Europa, com a utilização deste tipo de serviço com recurso a veículos eléctricos a fazer todo o sentido, uma vez que a capital espanhola é igualmente uma das cidades no Velho Continente que mais frequentemente acusa níveis demasiado elevados de poluentes na atmosfera, capazes mesmo de prejudicar a saúde pública. É isto que leva a constantes proibições da circulação de modelos com motores de combustão em determinadas zonas da cidade, tendo as autoridades anunciado já que, a partir de Junho de 2018, aquilo a que chamam o “hiper centro” de Madrid ficará vedado a motores de combustão interna, seja a gasolina ou diesel.