A onda de denúncias de assédio sexual já chegou a Larry King, um dos apresentadores mais conhecidos e com maior longevidade dos EUA, depois de uma mulher o ter acusado de apalpá-la em duas situações diferentes. “Larry King é um apalpador, ele apalpou-me duas vezes”, queixa-se Terry Richard, a denunciante. Larry King já reagiu, negando aquilo de que é acusado.

Terry Richard trabalhava como jornalista para o Tolucan Times — jornal local de Los Angeles — à altura do alegado assédio sexual. A primeira situação descrita por Terry Richard, que já foi casada com o cantor Eddie Fischer, terá acontecido na atribuição de prémios de baseball. Antes da cerimónia, cumprimentou Larry King, que era um dos oradores da noite, e depois tirou uma fotografia com ele.

O Larry pôs a mão nas minhas costas e à medida que o fotógrafo ia tirando a fotografia, deslizou a mão do meio das minhas costas até ficar com ela dentro do meu vestido. Ele acabou a pôr três ou quatro dedos no rego do meu rabo, deixou lá os dedos”, disse Terry Richard ao britânico Daily Mail.

“A minha reação inicial foi dar-lhe uma chapada na cara, mas ele era um orador convidado”, disse. “O que me chateou a sério foi eu ser uma mulher casada e o meu filho estar naquele evento… Eu estava a trabalhar e tinha mais de 50 anos, já. O que prova que não há limite de idade.”

As queixas de Terry Richard não ficam por aí. Noutro evento, posterior à cerimónia de entrega de prémios, a história voltou a repetir-se. “Eu estava a sair do evento e ele lá estava. Pôs-se mesmo à minha frente e o fotógrafo viu-nos e tirou-nos uma fotografia. Eu pensei: ‘Bom, certamente ele não vai fazê-lo de novo'”, disse. Mas, de acordo com a sua versão dos factos, aconteceu mesmo. “Ele apertou uma grande parte do meu rabo com três dedos. Apertou com tanta força que deixou uma nódoa negra durante uma semana”, conta.

“Eu não sei o que Larry King pensa, não sei como ele pensa. Mas sei que ele não vai voltar a fazer isso”, disse Terry Richard. Num comentário sobre as várias denúncias de assédio sexual, que nos EUA têm incidido maioritariamente sobre personalidades de Hollywood, acrescentou: “Eles são rapazes maus que precisam de ser disciplinados”.

O apresentador Larry King, que fez grande parte da sua carreira na CNN e que atualmente apresenta um programa de entrevistas na RT, negou as acusações através de um comunicado emitido pelos seus advogados. Nesse comunicado, lia-se que Larry King “nega clara e inequivocamente as acusações e pretende avançar para a justiça e provar que elas são totalmente falsas”.