O universo leonino juntou-se esta noite em Cascais no jantar Sporting Corporate, com a presença de elementos de várias modalidades, dirigentes e parceiros do clube. Houve casa cheia e Bruno de Carvalho, o presidente verde e branco, viu aí mais um momento para comentar a atualidade, nomeadamente os casos dos vouchers e dos emails.

“Somos um clube de valores bem vincados, de princípios inabaláveis, de conduta ética séria e honesta, que quer modernizar, dignificar e credibilizar o desporto a nível nacional e internacional. Sabemos que há clubes que estão dez anos à nossa frente, enquanto nós ainda trabalhávamos com faxes já eles tinham montado um esquema de emails. Ainda nós usávamos as famosas senhas de Euroticket e já eles usavam vouchers passados ao portador e sem limites de consumo. A verdade é que preferimos ter este atraso em relação aos outros, mas sermos uma família digna que honra todos a que ela pertencem e que com eles cresce e desenvolve-se numa harmonia saudável e salutar entre objetivos desportivos e responsabilidade social”, comentou o líder leonino, num claro ataque ao rival Benfica, antes de voltar a pedir a intervenção do próprio Governo.

“É tempo de percebermos que estamos num dos piores períodos da vida do futebol. Devemos exigir a diversas autoridades, seja a Federação, a Liga, o Governo, a Assembleia de República, o Ministério Público ou os polícias, que deixem de fingir que nada se passa e que se ponha cobro à materialização de tudo o que tenho denunciado desde que cheguei à presidência. Não toleramos que se escondam assuntos desta gravidade criando biombos sobre a forma como os emails foram obtidos. Não aceitamos viver num desporto assim”, referiu.

Em paralelo, Bruno de Carvalho comentou também a criação de uma comissão técnica independente por parte da Federação Portuguesa de Futebol para estudar a categorização das competições internas (o resultado será depois apresentado em Assembleia Geral, sendo aí alvo de votação e possível ratificação), que irá avaliar se os leões têm ou não razão quando pedem para que os Campeonatos de Portugal sejam reconhecidos como Campeonatos Nacionais, o que aumentaria o número de títulos verde e brancos para 22.

“Tenho pena que só depois de ter cumprido um castigo por causa desta temática é que se lembrem de fazer tal comissão mas mais vale tarde do que nunca. Que esta comissão não sirva apenas para tentar calar aquilo que são os direitos dos sportinguistas. Foi com alegria que constatei que não existe nenhum documento na Federação que não comprove que o Sporting tem 22 títulos. Os próprios Campeonatos do Mundo começaram com uma sistema similar, eram por eliminatórias e com muito menos equipas. A verdade é que todos os títulos são reconhecidos”, concluiu o presidente do clube de Alvalade.