Foram comentários que rapidamente se tornaram virais. Chamath Palihapitiya, que teve um alto cargo no Facebook, afirmou que não usa essa “m…” e que vive com uma “culpa tremenda” pelo papel que desempenhou como vice-presidente na área de expansão de utilizadores. Esta sexta-feira, num post no Facebook, afirma que acredita “genuinamente que o Facebook é uma força para o bem no mundo”.

I made some strong remarks about social media platforms, including Facebook, at an event at Stanford last month that…

Posted by Chamath Palihapitiya on Thursday, December 14, 2017

Na mensagem transmitida em novembro, numa conferência da Stanford Graduate School of Business, e que foi noticiada pelo The Verge no início desta semana, Palihapitiya afirmava que todos os utilizadores de redes sociais deviam fazer uma “pausa a sério”. Num tom bem menos aceso, afirmou na publicação desta sexta-feira, no Facebook: “As plataformas de redes sociais são usadas e abusadas de formas que os seus arquitetos nunca imaginaram”. O antigo executivo continua e diz que apesar disso, “o Facebook tem feito um esforço tremendo” para reduzir o impacto negativo das “fake news” e a “proteger eleições”.

Ex-Facebook: “As redes sociais estão a destruir a sociedade”

Os comentários de Palihapitiya levaram o Facebook a emitir um comunicado na passada terça-feira, o que é algo raro considerando situações análogas, a afirmar que “Chamath não trabalha com o Facebook desde há seis anos”. O comunicado vai mais longe dizendo que “o Facebook era uma empresa muito diferente nessa altura e ao crescer compreendeu que as responsabilidades [que tem] também cresceram”. Palihapitiya afirmou que quando trabalhava no Facebook havia consciência do impacto que se estava a criar.

Gerimos as nossas vidas em torno de um sentido percecionado de perfeição porque somos recompensados com sinais de curto prazo — likes, polegares para cima, corações — e misturamos isso com o valor, com a verdade. Na realidade, tudo isso é falso, uma popularidade momentânea que vos leva a querer ainda mais — admitam-no — e, depois, que vos deixa a sentirem-se ainda mais vazios do que estavam antes. O que vos leva a viver de acordo com o raciocínio: o que é que eu preciso de fazer a seguir para voltar a sentir o mesmo?”, esta é uma das citações do vídeo que ficou viral.

Mesmo com o comentário a ser partilhado no Facebook ser a defender a empresa em que trabalhou — chegando a afirmar que a “adora” — Palihapitiya faz questão de referir que os comentários que fez eram para “começar uma conversa importante, não para criticar uma empresa”. O antigo vice-presidente muda o tom com que fez os comentários e afirma que o que é necessário é “a sociedade discutir como se usam as ferramentas que as redes sociais oferecem”. Chamath diz ainda que o mais importante é refletir sobre “como se capacita as gerações mais jovens a usar estas ferramentas responsavelmente”.

Por ironia ou não, os comentários do ex-executivo foram bastante partilhados no Facebook (e outras redes sociais) e publicados por vários meios noticiosos em todo o mundo, como relembra o Business Insider. Já esta publicação, em 14 horas, e já tendo sido notícia, teve cerca de 200 gostos e 17 partilhas.

O vídeo da entrevista Chamath Palihapitiya que motivou a resposta do ex-executivo após se ter tornado notícia um pouco por todo o mundo.