O Ministro da Administração Interna (MAI) e a Câmara de Mafra inauguraram esta quinta-feira o novo Posto da GNR da Ericeira, pronto há um ano, e estabeleceram uma parceria para a construção de outro no Livramento.

“É fundamental para a atratividade [turística] porque ninguém vai de férias para onde não houver segurança”, afirmou o governante, que inaugurou o primeiro posto da GNR desde que tutela a Administração Interna, neste caso na Ericeira (Mafra), distrito de Lisboa.

O presidente da Câmara de Mafra, Hélder Sousa Silva (PSD), frisou a importância das obras, lembrando que os militares têm vindo a trabalhar em “instalações exíguas e degradadas”.

Em novembro, a Associação dos Profissionais da Guarda tinha alertado que as obras do Posto da GNR da Ericeira estavam concluídas desde novembro de 2016, mas o posto continuava sem abrir, enquanto os 30 militares continuavam a trabalhar em “instalações exíguas, degradadas, sem condições de dignidade e completamente desadequadas à função de polícia”.

O novo posto, que na terça-feira entrou em funcionamento, era um anseio dos militares e autarquias locais desde há uma década.

Nos últimos anos, a GNR da Ericeira vinha a ocupar, a título provisório, o Forte da Natividade, outrora utilizado como posto da antiga Brigada Fiscal, depois de ter abandonado anteriores instalações por estarem em ruína.

As obras foram efetuadas na sequência de um protocolo celebrado entre o MAI e a Câmara de Mafra, que cedeu o edifício e assumiu a responsabilidade de proceder a obras de remodelação e adaptação.

As obras custaram cerca de 850 mil euros, dos quais 500 mil são financiados pelo Ministério da Administração Interna, e os restantes pela Câmara de Mafra, que cedeu por 50 anos o terreno e o edifício.

O Posto da GNR da Ericeira serve uma população de 21 mil habitantes e patrulha um território de 75 quilómetros quadrados.

MAI, município e GNR celebraram também hoje um protocolo para criarem condições para haver um novo Posto da GNR no Livramento, para qual ainda não há estimativa de custos.

Ao abrigo do acordo, a Câmara não só vai ceder a antiga escola primária do Livramento, como vai responsabilizar-se por suportar parte dos encargos e lançar concurso para as “obras de requalificação e adequação”, afirmou o autarca.

O autarca explicou que se trata de uma intervenção importante, uma vez que os militares ocupam instalações “vetustas e decadentes”.

Além disso, as novas instalações vêm contribuir para reforçar a segurança na zona interior do concelho, correspondente às freguesias de Enxara do Bispo, Gradil/Vila Franca do Rosário (concelho de Mafra), Freiria e Turcifal (concelho de Torres Vedras).