As autoridades paquistanesas anunciaram este domingo que dois bombistas suicidas atacaram uma igreja na cidade de Quetta, matando nove pessoas e ferindo 30.

Sarfaraz Bugti, ministro do Interior da província de Baluchistan, afirmou que centenas de fiéis estavam no interior da igreja em vésperas do Natal.

A mesma fonte adiantou que um dos atacantes foi morto à entrada da igreja, enquanto o outro explodiu no interior do edifício.

A televisão local mostrou ambulâncias e patrulhas de segurança a correrem para a igreja, enquanto mulheres e crianças eram retiradas para o exterior.

O grupo jihadista Estado Islâmico (EI) já reivindicou o atentado. Em comunicado difundido na rede social Telegram, o EI afirmou que o atentado foi cometido por dois “mártires” do grupo, que identificou como Tayeb al Jarasani e Yalibib al Jarasani, sobre os quais assegurou que usaram cintos explosivos, armas e bombas.

Segundo a versão do EI, um dos terroristas detonou o cinto de explosivos no meio de um grupo de “cruzados”, enquanto o outro morreu ao enfrentar as forças de segurança paquistanesas.

O Paquistão é um país de maioria muçulmana sunita, no qual os cristãos representam menos de quatro milhões numa população de quase 200 milhões de habitantes.