O Governo está a procurar, em conjunto com os autarcas, uma solução de apoio para segundas habitações afetadas pelos fogos que não são “verdadeiramente segundas habitações”, disse este domingo o primeiro-ministro.

“Temos vindo a trabalhar com vários dos presidentes de Câmara para algumas situações onde as segundas habitações não são verdadeiramente segundas habitações. São situações mistas em que as pessoas residem cá e lá”, afirmou António Costa, que falava aos jornalistas em Santa Comba Dão, no final de uma visita a concelhos afetados pelos incêndios de 15 de outubro.

Segundo António Costa, a presença semanal dessas pessoas nessas localidades “é muito importante para a dinamização da vida” dos concelhos e para “ajudar a sustentar, a reanimar e manter vivo este território”.

“Temos todos de fazer um esforço para procurar encontrar soluções”, frisou, sublinhando que os autarcas da região “estão muito empenhados” nessa matéria.

Segundo o primeiro-ministro, uma das soluções poderá ser a canalização das contribuições solidárias para o apoio à reconstrução dessas mesmas habitações. Apesar disso, o líder do executivo vincou que a prioridade neste momento “tem de ser a primeira habitação, os agricultores atingidos” e a retoma das empresas afetadas pelas chamas.

“Depois temos as segundas habitações, naturalmente”, referiu.