A petrolífera francesa Total anunciou esta segunda-feira que aprovou investimentos para uma nova fase de desenvolvimento no campo de exploração de petróleo de Libra, no litoral do Brasil, em que a empresa brasileira Petrobras é a operadora.

A Total informou que a nova fase de investimentos envolve a criação de uma plataforma flutuante para extração e armazenamento de petróleo, com uma capacidade de 150 mil barris por dia e 17 poços, que será implantada a noroeste do bloco de Libra.

A empresa francesa (que detém 20% no consórcio de Libra) destacou que, juntamente com a Petrobras (que detém 40% da participação) e os outros parceiros (Shell com 20%, CNOOC com 10% e a CNPC com 10%) a estimativa de custos técnicos de exploração são de “menos de 20 dólares por barril”.

O diretor-geral das atividades de exploração e produção da Total, Arnaud Breuillac, disse que, após a fase inicial de extração que foi iniciada em novembro, essa decisão de investimento reforça o seu portfólio de projetos em construção e apoia o crescimento de sua produção após 2020.

De acordo com as estimativas publicadas no final de novembro pela Petrobras, as reservas recuperáveis nas áreas exploradas no nordeste do campo Libra são 3.300 milhões de barris. No total, Libra teria entre 8 mil e 12 mil milhões de barris, o que, se confirmado, o tornaria um dos mais importantes campos de hidrocarbonetos do mundo.