“Suspeitas”. Foi assim que a polícia descreveu as circunstâncias da morte de Barry Sherman, de 75 anos, e Honey Sherman, de 70 — e que levaram a que fosse selecionada uma equipa especializada para investigar como morreram os dois membros do milionário casal canadiano.

Os corpos de Barry Sherman e da mulher foram encontrados na passada sexta-feira na sua casa em Toronto, no Canadá. Foi o seu mediador imobiliário, que tem estado a tentar vender a casa, que encontrou os corpos — a mansão do casal estava à venda por cerca de 4,6 milhões de euros. Barry e Honey estavam junto a uma piscina interior que tinham na cave da casa.

Ambos morreram de estrangulamento, revelaram os resultados das autópsias, divulgados este domingo. A polícia não encontrou sinais de entrada forçada na mansão e adiantou que não está à procura de nenhum suspeito.

Barry tinha 75 anos. Honey tinha 70 (Foto: Ottawa Citizen/Twitter)

Fundador da farmacêutica Apotex — que vende medicamentos genéricos em vários países e se tornou uma das miores do mundo –, Barry Sherman tornou-se milionário e um dos homens mais ricos do Canadá. Os Sherman fizeram várias doações multimilionárias a hospitais, escolas e instituições de caridade.

Criou a empresa em 1974, com apenas dois empregados. Agora, a Apotex tem cerca de 11 mil funcionários em todo o mundo. A empresa emitiu um comunicado no sábado onde lamenta a morte do seu fundador.

O primeiro-ministro do Canadá, Justin Trudeau, lamentou a morte do casal através do Twitter. “As nossas condolências para a família e amigos e para todos tocados pela sua visão e espírito”, pode ler-se na publicação.

Homicídio ou suicídio?

Ambas as hipóteses estão em cima da mesa. Uma delas irritou a família. Segundo uma das possibilidades, avançada pelos media canadianos, a polícia está a investigar o caso como se tratando de homicídio e suicídio: Barry teria estrangulado até à morte Honey e, depois, cometido suicídio.

Mas a família não aceita esta teoria e emitiu um comunicado onde explica que não há ninguém próximo do casal que acreditasse na hipótese de Barry Sherman ter estrangulado a mulher, Honey.

Os nossos pais partilhavam o entusiasmo pela vida e a dedicação à família e à comunidade — factos totalmente inconsistentes com os rumores que, infelizmente, circulam nos media sobre as circunstâncias da sua morte”, pode ler-se num comunicado da família citado pela CNN.

No comunicado, a família acusa a polícia de ser irresponsável por ter informado os media de “uma teoria que nem a família, nem amigos, nem conhecidos acreditam ser verdadeira”. Os familiares pedem que a polícia conduz uma “investigação criminal intensiva e objetiva”, evitando especulações.