A Ikea está a ser investigada por possível evasão fiscal, num processo que será anunciado esta segunda-feira pela Comissão Europeia, segundo o Financial Times. Em causa poderão estar cerca de mil milhões de euros que deviam ter sido pagos mas que a cadeia sueca do mobiliário poderá ter evitado, de forma ilegal, através da criação de uma rede complexa de empresas na Holanda, Luxemburgo e Liechtenstein.

A investigação concentra-se no período entre 2009 e 2014, o mesmo período que foi analisado num relatório elaborado pelos Verdes do Parlamento Europeu. É deles a estimativa de mil milhões de euros, que a Ikea poderá dever ao fisco. A cadeia sueca terá criado dois grupos separados, no meio de uma rede complexa de empresas, em que se movia dinheiro de um lado para o outro de uma forma cuja legalidade está agora a ser investigada.

A Ikea é a última grande empresa multinacional a ser investigada pela Comissão Europeia nos últimos quatro anos. A investigação à Ikea está em curso mas outros processos já levaram à recolha de vários milhares de milhões de euros em impostos junto de empresas como a Apple, a Starbucks, a Fiat e a Amazon.

Neste momento, também sob investigação estão empresas como a McDonald’s e uma empresa francesa chamada Engie, onde o estado francês tem 33% do capital.