Obras adicionais na expansão do aeroporto da capital cabo-verdiana resultaram em mais 35% no orçamento, anunciou esta segunda-feira a ministra das Infraestruturas, ressalvando que o aumento se deve a melhorias solicitadas ao projeto e não a derrapagem nos custos.

Eunice Silva avançou os dados durante uma visita às obras de ampliação e modernização do Aeroporto da Praia “Nelson Mandela”, situado a três quilómetros a nordeste do centro da capital cabo-verdiana. Segundo a governante, o investimento inicial para expandir o aeroporto da capital cabo-verdiana era de 29 milhões de euros, mas foram solicitadas obras adicionais que aumentaram o investimento em 35%.

Introduzimos várias melhorias ao projeto, como a climatização, o sistema informático de gestão da aerogare e drenagem de água. Temos uma grande inovação que é a introdução do basalto em larga escala no revestimento da aerogare”, enumerou Eunice Silva.

A ministra sublinhou que as obras complementares estão dentro da lei, salientando, por isso, que não se trata de uma derrapagem. A governante disse também que as melhorias levaram ao prolongamento do prazo para o fim dos trabalhos, inicialmente previsto para finais de 2016, mas a previsão agora é julho do próximo ano.

Durante a visita, a ministra constatou que alguns espaços já estão a funcionar e que, assim que as obras estiverem concluídas, o aeroporto vai ganhar novas valências, como a “mais alta tecnologia” de inspeção e transporte de bagagem.

“Vamos poupar em tempo e operações, vamos ter capacidade de movimentar 1.200 bagagens por hora e podemos estar com quatro aviões tipo 757 (Boeing) a operar em simultâneo”, exemplificou.

A ministra disse que as obras no aeroporto da Praia não vão parar e que o investimento na infraestrutura será compensado com ampliação da pista, garantindo que o Governo já está a trabalhar para criar as condições para que isso aconteça.

As obras de remodelação e ampliação do aeroporto internacional da Praia são cofinanciados pelo Banco Africano de Desenvolvimento (BAD – 87,5%) e pelo Governo de Cabo Verde (12,5%). As obras consistem na extensão do terminal de passageiros, na remodelação do terminal de cargas e na extensão da plataforma de estacionamento de aeronaves.

Todo o edifício do aeroporto internacional, inaugurado em 2005, abrange atualmente uma área de 6.960 metros quadrados e passará a dispor de uma área de 10.700 metros quadrados. O aeroporto irá duplicar o fluxo de passageiros por ano, dos atuais 500 mil para um milhão até 2035 e de processamento de bagagens, com o aumento do número de tapetes.

Além da Praia, Cabo Verde tem mais três aeroportos internacionais: São Vicente (Cesária Évora), Boavista (Aristides Pereira) e Sal (Amílcar Cabral) e aeródromos em São Nicolau, Maio e Fogo.