Durante o Inverno, com dias frios e estradas geladas, a que se sucedem noites ainda mais rigorosas, não há muito que fazer na Noruega, pelo que o youtuber Bjorn Nyland entretém-se a fazer experiências com o seu Tesla Model X P90D. Desta vez, desafiou um Toyota Land Cruiser de um amigo para um combate de reboque, em que o jipe japonês puxava para um lado e o SUV americano para outro, ligados por um cabo que, por sinal, até se revelou bastante resistente, a ponto de não partir.

O Land Cruiser é uma referência entre os jipes puros e duros. É um veículo feito para ‘sobreviver’ mesmo a uma utilização mais radical, e não um SUV – uma versão moderna dos jipes tradicionais, mais confortáveis e eficazes (em asfalto ou estradas de terra), mas que não estão tão à vontade a circular fora de estrada, especialmente quando o mau piso e os buracos são uma constante.

Por outro lado, o Model X é a antítese do Land Cruiser. É um Mike Tyson, mas de smoking e sapatos de verniz. E se tem quatro rodas motrizes, é mais alto e oferece um pouco mais de distância ao solo do que um automóvel convencional, a verdade é que não foi concebido para suportar pancada, o que invariavelmente acontece quando se realiza uma incursão pelo todo-o-terreno (TT). Nem tem ângulos de ataque, saída e ventral que lhe permitam aventurar-se no TT, sem regressar com algumas cicatrizes, sobretudo na zona inferior do chassi e carroçaria.

Mas, desde que a disputa se mantenha em alfalto, neve ou lama, em zonas não excessivamente esburacadas, aquelas por onde poucos condutores arriscam uma passeata nos seus jipes ou SUV, o Model X é sempre um osso difícil de roer. E o P90D de Nyland, que é capaz de “aviar” um Porsche 911 Turbo de 0-100 km/h é, curiosamente, capaz igualmente de fazer a vida negra ao Land Cruiser no TT. Tem entre duas a três vezes mais potência, mais 50% de força, e está equipado com um sistema de controlo de tracção que faz o Toyota, ou qualquer jipe deste tipo, mais robusto, parecer um veículo do século passado.

Depois de atrelados ambos os modelos 4×4 através de um cabo, os respectivos condutores aceleraram a fundo, naquilo que parece ser uma estrada gelada, onde só os pregos que equipavam os pneus garantem a necessária tracção. E o resultado não podia ser mais embaraçoso para o jipe japonês, que mais parecia estar a acelerar, mas em marcha-atrás. Porém, e em abono da verdade, não havia grandes chances do jipe bater o SUV. Contudo, a vantagem do Tesla tornou-se ainda mais evidente pelo facto do Model X estar equipado com pneus melhores que o Land Cruiser. Ambos possuíam pneus de neve com pregos – em número reduzido e muito curtos, para estarem homologados para circular em estrada –, mas os Nokian do modelo americano eram de melhor qualidade, o que lhe conferia uma ligeira vantagem.