No final do encontro com o Portimonense, que terminou com um empate a duas bolas após a vantagem encarnada ao intervalo por 2-0, Rui Vitória mostrou-se muito crítico com a equipa nos derradeiros 45 minutos mas destacou que todas as análises serão feitas de forma interna. Até porque o “pior” pode estar para vir: caso o V. Setúbal vença o Sp. Braga na sexta-feira, os encarnados ficarão também eliminados da Taça da Liga.

Numa altura em que já estão afastadas das competições europeias (com o pior registo de sempre, de seis derrotas noutros tantos encontros) e da Taça de Portugal (derrota na semana passada com o Rio Ave, após prolongamento), as águias correm o risco de, pela primeira vez na sua história e desde que há Taça da Liga, estarem arredadas das três frentes extra Campeonato ainda em dezembro.

Há um outro dado que contribui e muito para esse cenário e que diz respeito à irregularidade que o Benfica tem vindo a apresentar ao longo da temporada em todas as competições, sobretudo no último mês: desde 18 de novembro que os encarnados não conseguem somar duas vitórias consecutivas.

Em paralelo, o Benfica voltou a desperdiçar uma vantagem de dois ou mais golos na Luz, algo que, como mostram os dados do Playmakerstats, não acontecia desde 2011, quando o conjunto então comandado por Jorge Jesus esteve a ganhar por 3-1 à U. Leiria com golos de Cardozo, Javi Garcia e Jara mas acabou por permitir a igualdade, por intermédio de Lendrinho e João Silva (que bisou nesse encontro a 14 de maio).