A taxa de juro implícita nos contratos de crédito à habitação subiu em novembro 0,1 pontos base (p.b.) para 1,017%, na comparação com outubro, quando o valor era de 1,016%, divulgou esta quarta-feira o Instituto Nacional de Estatística (INE).

O INE acrescentou que a prestação média vencida diminuiu um euro em relação ao mês anterior, fixando-se em 239 euros.

Na taxa mais relevante no conjunto do crédito à habitação, o financiamento para aquisição de habitação, a taxa de juro implícita para o total dos contratos foi 1,039%, numa subida de 0,1 p.b. em relação a outubro (1,038%).

A informação divulgada quarta-feira refere também que nos contratos celebrados nos últimos três meses a taxa de juro foi 1,660% em novembro, numa descida de 2,6 p.b..

Já no financiamento para aquisição de habitação nos contratos celebrados nos últimos três meses, a taxa passou de 1,681% em outubro para 1,658% em novembro.

Quanto ao valor médio da prestação vencida neste período foi 316 euros em novembro, enquanto no mês anterior tinha sido de 326 euros.

O capital médio em dívida para a totalidade dos contratos aumentou 75 euros em novembro, face a outubro, atingindo o valor de 51.646 euros, enquanto em relação aos contratos celebrados nos últimos três meses o montante médio desceu de 95.520 de outubro, para 93.526 euros.