Depois de ter criado uma série de cartazes em protesto contra “a ganância da indústria da moda” em Varsóvia, o artista polaco Igor Dobrowolski invadiu as ruas de Berlim com 14 montagens sobre o conflito no Iémen. Na série “Natal no Iémen”, o pintor mistura imagens brutais da guerra no Iémen com fotografias coloridas e felizes do Natal no Ocidente.

Os cartazes com que a capital alemã acordou no início desta semana mostram, por exemplo, um pai com o filho morto ao colo mas, no lugar da criança, há uma imagem de presentes nos braços de outra pessoa.

As imagens de Igor Dobrowolski são também uma crítica: na página de Facebook onde o polaco partilhou as imagens do projeto, o artista explica que os cartazes fazem um contraponto entre o consumismo ocidental na época natalícia e aquilo que considera ser um “patrocínio feito por alguns países europeus” aos responsáveis pela guerra no Iémen. Aliás, todas as imagens publicadas nas redes sociais de Igor Dobrowolski foram legendadas com notícias avançadas por jornais britânicos, pela UNICEF ou pela Amnistia Internacional. Porque “uma criança morre a cada dez minutos no Iémen”. E “desde março de 2015, os EUA e o Reino Unido transferiram mais de 5 mil milhões de dólares em armas para a Arábia Saudita, que lidera a coligação militar no Iémen”.

Igor Dobrowolski já confessou que a maior parte dos trabalhos em que se envolve procuram ser “uma chamada de atenção” para assuntos como “morte, a depressão, as crianças que vivem a guerra, os problemas dos pobres e dos sem-abrigo, os vícios, o narcisismo, a falta de empatia”. “Natal no Iémen” não foi exceção: “A minha motivação para este projeto foi o sofrimento de pessoas inocentes e o desejo de mostrar este horror esquecido”.

Fê-lo espalhando 14 cartazes pelas ruas de Berlim. Veja-os na fotogaleria.