Dellen Millard nasceu num berço de ouro. Trabalhava com o pai na Millardair, uma companhia aérea fundada pelo avô nos anos 60, era rico, não tinha preocupações e tinha o Canadá inteiro a seus pés. Mas tudo correu mal.

Por debaixo da personalidade boémia e de playboy, estava um criminoso latente. Entre as gigantescas festas que dava na mansão da família e as viagens com os amigos, Dellen Millard começou a entrar no mundo de crime. Primeiro pequenos furtos, depois tráfico de droga e roubo de carros. Mas trabalhava em dupla: Mark Smich, o melhor amigo, acompanhava-o em tudo o que fazia.

Em 2009, conheceu Laura Babcock. Começaram a namorar e durante três anos tudo parecia retirado de um conto de fadas. Mas, em 2012, Laura desapareceu. Nunca se soube o que aconteceu à namorada de Dellen Millard e o caso acabou por ser arquivado. No final do mesmo ano, o pai de Dellen, Wayne, morreu. A morte foi considerada um suicídio.

Mas, em 2013, as duas histórias sofreram reviravoltas graças a uma outra. Dellen e Mark deslocaram-se até à casa de Tim Bosma, um pai de família que queria vender a carrinha para ganhar conforto financeiro. Dellen, Mark e Tim saíram para um test drive. Tim nunca voltou. A BBC conta que a carrinha foi encontrada quatro dias depois na propriedade da mãe de Dellen, com vestígios de sangue e resíduos de pólvora. Mais tarde, a polícia encontrou vestígios de um corpo numa incineradora do milionário herdeiro.

Dellen Millard e Mark Smich foram detidos, julgados e condenados pela morte de Tim Bosma. A investigação abriu novas portas e, um mês depois, os dois foram condenados a prisão perpétua pela morte do pai de Dellen – matou-o para que herdasse toda a fortuna imediatamente – e também pela de Laura Babcock. A polícia acabou por confirmar que o corpo de Laura também foi incinerado, tal como o de Tim Bosma.

Enquanto era julgado pelo homicídio da namorada, Dellen, de 32 anos, disse que não precisava de advogado – sabia defender-se sozinho. Interrogou todas as testemunhas em tribunal e quando chegou a vez de Clayton Babcock, o pai de Laura, perguntou-lhe: “Estás nervoso? Deve ser difícil ser questionado por mim”.