Ainda lhe compro um presente desde então, mas aquele brinquedo foi o último que a vi abrir”, revelou a mãe de Madeleine — que desapareceu em maio de 2007, na Praia da Luz, no Algarve. A revelação de Kate McCann aparece num texto escrito na primeira pessoa e publicado no The Telegraph publicado esta sexta-feira, e que faz parte de uma campanha de apoio à associação Missing People (“Pessoas desaparecidas”, em português), a entidade escolhida neste final de 2017, uma tradição anual do jornal britânico para apoiar associações de ajuda e apoio social.

Kate McCann relembra o último Natal — uma memória que ainda tem bastante viva — que passou com a filha, quando esta tinha apenas três anos. “Tinha começado a aprender músicas de Natal”, conta Kate, acrescentando: “Ainda a consigo ouvir a cantar“. Nesse ano, Kate comprou uma cozinha de brincar para Madeleine e para os seus dois irmãos mais novos. “Lembro-me da cara dela quando entrou”, disse Kate fazendo referência ao facto de esse ter sido “o último presente” que a viu a abrir.

Este Natal vai ser o 11.º que eu e o meu marido passamos sem a nossa filha. Para famílias como a nossa, que tenham vivido com a agonia de perder uma filha — ou qualquer familiar — o Natal pode ser uma altura muito dolorosa”, conta KateMcCann.

A mãe de Madeleine recorda ainda o primeiro Natal que passou depois da filha ter desaparecido e lembra que não conseguia fazer “nada”. “Senti-me tão dormente que não conseguia comprar presentes ou postais ou mesmo montar a árvore de Natal. Tudo era tão mau”, conta. Kate revela que, a cada ano que passou, foi fazendo um esforço para lidar com o momento o melhor que conseguia.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

“Apesar de tudo, as nossas outras duas crianças, que têm agora 12 anos, também mereciam um Natal”, admite. A mãe de Madeleine revela ainda que, apesar de ter momentos tensos, tenta manter o espírito natalício pelos filhos, contando que não se sente culpada por isso. “Na minha cabeça, acho eu, só quero que tudo esteja bem para quando ela [Madeleine] voltar para casa“, diz.

“Tu não sabes o quão forte és até não teres opção”, desabafa Kate, acrescentando que ela e o marido, Gerry, ainda estão unidos no objetivo de encontrar Madeleine.