Emprego

Será que há um momento perfeito para procurar um novo emprego?

Para os 'caçadores de empregos' será numa manhã de terça-feira, em dezembro. Os especialistas, esses, dão algumas dicas para o momento de candidatura ao emprego ser o mais propício.

Getty Images

O início do novo ano traz, para muitos, novos objetivos. Está à procura de emprego e não sabe quando responder aos anúncios? Será que há um momento perfeito para procurar emprego? As respostas encontram-se abaixo.

O melhor mês do ano

Os dados dos maiores sites de pesquisa de emprego do mundo mostram que a procura aumenta significativamente quando o mês de janeiro se aproxima. Em 2017, seis dos dez melhores dias para procurar emprego foram em janeiro, de acordo com a BBC.

Dezembro tende a ser a altura em que as pessoas reavaliam o quão satisfeitas ou insatisfeitas estão com os empregadores”, disse Jodi Chavez, presidente da Randstad Professionals, uma empresa de recrutamento.

Assim, apesar de a procura por emprego aumentar em janeiro, bem como as ofertas, meados de dezembro pode ser a melhor altura para começar a procurar. Quem o diz é Paul McDonald, diretor executivo da empresa de recrutamento Robert Half.

Half diz ainda que, nas empresas que oferecem um bónus no final do ano, os empregos ficam muitas vezes imediatamente disponíveis — os funcionários recebem os seus bónus e despedem-se depois.

O melhor dia da semana

Os especialistas dizem que os melhores dias para responder a anúncios de emprego tendem a ser segunda-feira e terça-feira.

Assim, se um anúncio sair na segunda-feira, a melhor estratégia é não ser a primeira pessoa a responder. Normalmente, o que acontece é que [os recrutadores] veem o que lhes chega, avaliam e esperam para ver o que ainda vai chegar”,diz Chavez.

O melhor, segundo a especialista, é enviar o currículo entre 12 a 24 horas depois de o anúncio ser publicado online, e durante o horário de funcionamento da empresa a que está a concorrer.

O melhor momento do dia

Os dados do portal de recrutamento Indeed mostram que os europeus tendem a procurar emprego durante a manhã (entre as 11h e as 14h) e depois do jantar. Chavez afirma que “Há uma maior possibilidade de obter visibilidade se enviar o currículo durante o horário da empresa”.

Assim, mesmo que encontre um anúncio durante a noite, prepare todos os documentos necessários para concorrer e, no dia seguinte, envie a candidatura. A ideia é que o seu currículo não fique ‘escondido’ pelos outros que chegam durante a manhã. Para a especialista, o ideal será enviar o currículo entre as 10h e as 11h ou entre as 14h e as 15h.

Então existe um momento perfeito para procurar emprego? Para os ‘caçadores de empregos’ a resposta poderá ser “terça-feira de dezembro, entre as 10 e 11 da manhã”. Contudo, Chavez e McDonald concordam que o mais importante é enviar um bom currículo e uma carta de apresentação adequada ao cargo — algo que pode ser feito a qualquer momento do dia.

    Se tiver uma história que queira partilhar ou informações que considere importantes sobre abusos sexuais na Igreja em Portugal, pode contactar o Observador de várias formas — com a certeza de que garantiremos o seu anonimato, se assim o pretender:

  1. Pode preencher este formulário;
  2. Pode enviar-nos um email para abusos@observador.pt ou, pessoalmente, para Sónia Simões (ssimoes@observador.pt) ou para João Francisco Gomes (jfgomes@observador.pt);
  3. Pode contactar-nos através do WhatsApp para o número 913 513 883;
  4. Ou pode ligar-nos pelo mesmo número: 913 513 883.

Agora que entramos em 2019...

...é bom ter presente o importante que este ano pode ser. E quando vivemos tempos novos e confusos sentimos mais a importância de uma informação que marca a diferença – uma diferença que o Observador tem vindo a fazer há quase cinco anos. Maio de 2014 foi ainda ontem, mas já parece imenso tempo, como todos os dias nos fazem sentir todos os que já são parte da nossa imensa comunidade de leitores. Não fazemos jornalismo para sermos apenas mais um órgão de informação. Não valeria a pena. Fazemos para informar com sentido crítico, relatar mas também explicar, ser útil mas também ser incómodo, ser os primeiros a noticiar mas sobretudo ser os mais exigentes a escrutinar todos os poderes, sem excepção e sem medo. Este jornalismo só é sustentável se contarmos com o apoio dos nossos leitores, pois tem um preço, que é também o preço da liberdade – a sua liberdade de se informar de forma plural e de poder pensar pela sua cabeça.

Se gosta do Observador, esteja com o Observador. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)