Filipinas

20 peregrinos morrem nas Filipinas em acidente de autocarro

Dias trágicos nas Filipinas. Uma tempestade tirou a vida a mais de 240 pessoas, um incêndio num centro comercial fez 37 mortos e esta segunda-feira um acidente de autocarro matou 20 peregrinos.

Os passageiros seguiam num Jeepney, um transporte tradicional filipino.

AFP/Getty Images

Vinte peregrinos filipinos morreram esta segunda-feira num acidente rodoviário. O “jeepney” — uma carrinha tradicional das Filipinas — onde seguiam para uma cerimónia de Natal foi abalroado por um autocarro, matando 20 dos 29 tripulantes. O acidente ocorreu na cidade de Agoo, que fica a cerca de 200km da capital, Manila, às 3h30 da manhã locais (19h30, de domingo, de Lisboa).

Os passageiros seguiam em direção à igreja de Manaog, um destino católico importante do país. Segundo avança a CNN, o autocarro que embateu no “jeepney” seguia também com passageiros, tendo apenas um ficado ferido com ferimentos ligeiros.

Os últimos dias têm sido fatídicos para o país asiático, que registou 240 mortos no decorrer da tempestade tropical Tembin. Ainda este domingo um incêndio num centro comercial na cidade de Davao provocou a morte de mais de 30 pessoas. As autoridades recolheram 37 corpos dos destroços do incêndio que começou numa loja de móveis.

    Se tiver uma história que queira partilhar ou informações que considere importantes sobre abusos sexuais na Igreja em Portugal, pode contactar o Observador de várias formas — com a certeza de que garantiremos o seu anonimato, se assim o pretender:

  1. Pode preencher este formulário;
  2. Pode enviar-nos um email para abusos@observador.pt ou, pessoalmente, para Sónia Simões (ssimoes@observador.pt) ou para João Francisco Gomes (jfgomes@observador.pt);
  3. Pode contactar-nos através do WhatsApp para o número 913 513 883;
  4. Ou pode ligar-nos pelo mesmo número: 913 513 883.
Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: mmachado@observador.pt
Winston Churchill

A arrogância da ignorância /premium

João Carlos Espada

Como devemos interpretar que um dirigente do segundo maior partido britânico venha dizer em público que o líder do mundo livre durante a II Guerra, Winston Churchill, foi um “vilão”?

Winston Churchill

A arrogância da ignorância /premium

João Carlos Espada

Como devemos interpretar que um dirigente do segundo maior partido britânico venha dizer em público que o líder do mundo livre durante a II Guerra, Winston Churchill, foi um “vilão”?

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)