Rádio Observador

Meteorologia

Mau Tempo: agitação marítima mantém costa Norte em aviso laranja

Seis distritos da costa Norte estão esta quarta-feira em alerta laranja devido à agitação marítima. As ondas de noroeste podem atingir uma altura máxima de 10 metros.

MÁRIO CRUZ/LUSA

Seis distritos estão sob aviso laranja, o segundo mais grave, por causa do estado do mar até meio do dia desta quarta-feira, com a agitação marítima a fechar sete barras na costa Norte e a condicionar outras duas.

De acordo com o Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA), estão sob aviso laranja até às 14:59, por causa da agitação marítima, os distritos do Porto, Viana do Castelo, Leiria, Aveiro, Coimbra e Braga, com previsão de ondas de noroeste que podem atingir uma altura máxima de 10 metros.

O estado do mar obrigou também a encerrar as barras nas capitanias dos portos de Caminha, Viana do Castelo, Póvoa do Varzim, Vila do Conde, Douro, Nazaré e Cascais, segundo a Marinha.

Estes avisos laranja por causa da agitação marítima vão passar progressivamente a amarelo (um nível abaixo), abrangendo também outros distritos até meio do dia de quinta-feira.

De acordo com o IPMA, estarão sob aviso amarelo por causa da agitação marítima os distritos de Faro e Beja (até às 03:59 de quinta-feira), Lisboa e Setúbal (até às 05:59) e Viana do Castelo, Porto, Leiria, Aveiro Coimbra e Braga (até às 11:59).

Por causa da agitação marítima, a Marinha e a Autoridade Marítima Nacional alertaram na segunda-feira para as eventuais consequências da previsão de agravamento do estado do mar na costa oeste portuguesa.

Em comunicado, a Marinha adiantou que o alerta é dirigido a toda a comunidade piscatória e da náutica de recreio que se encontra no mar, especialmente a norte do Cabo da Roca, bem como a toda a população em geral que frequente as zonas costeiras ao logo de toda a faixa litoral oeste.

A Marinha recomenda à população que se abstenha da prática de passeios junto à costa e nas praias, bem como da prática de atividades lúdicas nas zonas expostas à agitação marítima.

Já aos pescadores lúdicos de pesca à cana a Marinha aconselha cautela, evitando pescar junto a zonas de arriba nas frentes costeiras atingidas pela rebentação das ondas.

De acordo com as previsões do Instituto Português do Mar e da Atmosfera, para hoje em Portugal continental são esperados aguaceiros fracos, passando a períodos de chuva no Norte e Centro a partir do final da tarde e uma pequena subida da temperatura mínima, que esta quarta-feira descerá até aos 3.º na Guarda.

Já as temperaturas máximas vão variar entre os 9.º em Bragança e Guarda, 10.º em Vila Real e Viseu, 13.º em Braga, 14º em Viana do Castelo, Porto e Coimbra, 15.º em Leiria, 16.º em Lisboa e Santarém e 18.º em Faro.

Para as ilhas, o IPMA prevê nos Açores períodos de céu muito nublado com abertas e vento sudoeste moderado (20/30 km/h), tornando-se fresco (30/40 km/h) com rajadas até 55 km/h para a noite, e na Madeira céu com períodos de muita nebulosidade e vento fraco a moderado (até 25 km/h) do quadrante norte.

As temperaturas mínimas vão variar entre os 14.º em ponta Delgada e os 15.º no Funchal e as máximas chegarão aos 19.º em Ponta Delgada e 20.º no Funchal.

Não queremos ser todos iguais, pois não?

Maio de 2014, nasceu o Observador. Junho de 2019, nasceu a Rádio Observador.

Há cinco anos poucos acreditavam que era possível criar um novo jornal de qualidade em Portugal, ainda por cima só online. Foi possível. Agora chegou a vez da rádio, de novo construída em moldes que rompem com as rotinas e os hábitos estabelecidos.

Nestes anos o caminho do Observador foi feito sem compromissos. Nunca sacrificámos a procura do máximo rigor no nosso jornalismo, tal como nunca abdicámos de uma feroz independência, sem concessões. Ao mesmo tempo não fomos na onda – o Observador quis ser diferente dos outros órgãos de informação, porque não queremos ser todos iguais, nem pensar todos da mesma maneira, pois não?

Fizemos este caminho passo a passo, contando com os nossos leitores, que todos os meses são mais. E, desde há pouco mais de um ano, com os leitores que são também nossos assinantes. Cada novo passo que damos depende deles, pelo que não temos outra forma de o dizer – se é leitor do Observador, se gosta do Observador, se sente falta do Observador, se acha que o Observador é necessário para que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia, então dê o pequeno passo de fazer uma assinatura.

Não custa nada – ou custa muito pouco. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)