Metro de Lisboa

Metro de Lisboa aberto durante a noite da passagem de ano

110

O Metro de Lisboa vai estar a funcionar durante a noite de 31 de dezembro e a madrugada de 1 de janeiro, mas nem todas as linhas e estações estarão abertas.

ANTÓNIO COTRIM/LUSA

O Metro de Lisboa vai estar a funcionar durante a noite da passagem de ano, ou seja, durante a noite de 31 de dezembro e a madrugada de 1 de janeiro.

“Na sequência da prática já implementada este ano para outras situações, o Metropolitano de Lisboa informa que irá assegurar o serviço de exploração, durante toda a noite da passagem de ano permitindo, desta forma, responder ao acréscimo de procura que normalmente se regista durante a noite de 31 de dezembro e a madrugada de 01 de janeiro, voltando a encerrar, somente, à 01h00 de dia 02 de janeiro”, lê-se no comunicado do Metropolitano de Lisboa.

Contudo, nem todas as linhas e estações vão estar a funcionar. A Linha Amarela estará encerrada enquanto na Linha Azul estarão abertas as estações Pontinha, Colégio Militar, Jardim Zoológico, São Sebastião, Marquês de Pombal, Restauradores e Baixa-Chiado. No caso da Linha Verde, conte com as estações Telheiras, Areeiro, Alameda, Rossio, Baixa-Chiado e Cais do Sodré. Quanto à Linha Vermelha, estarão abertas as estações Moscavide, Oriente, Olivais, da Alameda e São Sebastião.

A estação Terreiro do Paço (Linha Azul) encerra às 22h30 “por motivos de segurança”, tendo a conta a “elevada concentração de pessoas prevista à superfície no âmbito das festividades de passagem do ano”. Os utilizadores do Metro de Lisboa poderão recorrer, em alternativa, às estações Cais do Sodré ou Baixa-Chiado.

    Se tiver uma história que queira partilhar ou informações que considere importantes sobre abusos sexuais na Igreja em Portugal, pode contactar o Observador de várias formas — com a certeza de que garantiremos o seu anonimato, se assim o pretender:

  1. Pode preencher este formulário;
  2. Pode enviar-nos um email para abusos@observador.pt ou, pessoalmente, para Sónia Simões (ssimoes@observador.pt) ou para João Francisco Gomes (jfgomes@observador.pt);
  3. Pode contactar-nos através do WhatsApp para o número 913 513 883;
  4. Ou pode ligar-nos pelo mesmo número: 913 513 883.
Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: rporto@observador.pt
PSD

Quando o Papa não é católico /premium

Rui Ramos

Para o PSD, a exclusão do PCP e do BE é a grande prioridade nacional. Mas para isso, é indiferente votar PSD ou PS. Como explicaram os quadros do BCP, uma maioria absoluta do PS também serve.

Corrupção

O caso da OCDE e a corrupção /premium

Helena Garrido

O que se passou com a OCDE foi grave. O responsável pelo estudo foi impedido de estar presente na apresentação. E uma conferência da Ordem dos Economistas foi cancelada. Aconteceu em Portugal.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)