A saída de Nicolau Santos do Expresso foi anunciada a 15 de dezembro — o até agora diretor-adjunto do semanário vai manter-se em funções até final do ano. Esta quinta-feira, e poucas semanas depois do anúncio, ficou a saber-se que é Nicolau Santos a escolha do Governo para o cargo de presidente do conselho de administração da agência Lusa.

Um cargo que, conseguiu apurar o Observador junto de fonte oficial do Ministério da Cultura, o jornalista assumirá no final de fevereiro. Numa nota divulgada esta quinta-feira, Nicolau Santos explica que, quase 20 anos depois, decidiu sair do Expresso para “concluir alguns projetos”.

“Ao comunicar a minha decisão, o Grupo Impresa convidou-me para continuar a colaborar, mantendo a minha página de opinião no Expresso e escrevendo artigos para o Expresso Diário, além de continuar a co-apresentar o Expresso da Meia Noite, o que faço desde Fevereiro de 2002, inicialmente com Ricardo Costa e, mais recentemente, também com Bernardo Ferrão. Aceitei o convite com satisfação, porque tenho sido muito feliz nesta casa, quer pela elevadíssima qualidade dos profissionais com quem trabalho, quer por muitos serem também excelentes pessoas.”

No entanto, refere ainda Nicolau Santos, “há poucos dias” foi convidado para ser presidente do Conselho de Administração da Lusa. Convite que acabou por aceitar após uma conversa com Francisco Pedro Balsemão, presidente-executivo do grupo Impresa.

“Ponderei muito se o deveria aceitar, até porque isso me impede de continuar a escrever para o jornal, fazer o Expresso da Meia Noite ou ser comentador na Antena 1. Conversei sobre o assunto com Francisco Pedro Balsemão e acabei por aceitar o desafio, esperando contribuir para tornar a Lusa numa agência noticiosa adaptada aos grandes desafios que se colocam aos media no séc. XXI.”

Na mesma nota, o ainda diretor-adjunto do Expresso deixou um agradecimento a Francisco Pinto Balsemão e a Francisco Pedro Balsemão. “Agradeço profundamente a Francisco Pinto Balsemão pelo convite que me dirigiu para integrar o Expresso a partir de 1 de Outubro de 1980 e que tanto me orgulhou; a Francisco Pedro Balsemão, que tem a responsabilidade de dirigir o Grupo nesta fase e que tratou do processo da minha saída com a maior lisura e correção e desejo a todos os que trabalham no Grupo Impresa e que levo no coração os maiores sucessos pessoais e profissionais.”

Na manhã desta quinta-feira o Público escreveu que os ex-ministros da Cultura socialistas Gabriela Canavilhas e João Soares estariam igualmente na lista de nomes apontados pelo Governo ao cargo.

Nicolau Santos sucede assim a Teresa Marques. A nomeação vai agora seguir os procedimentos normais, com a assembleia-geral (onde serão designados os novos presidente e o vice-presidente do conselho de administração) da Lusa a ser convocada no final de fevereiro, altura em que Teresa Marques apresentará as contas de 2017 e deixará a agência de notícias.