Os agricultores afetados pelos incêndios de 15 de outubro começam esta sexta-feira a receber os apoios, com o Ministério da Agricultura a proceder ao pagamento de 37,68 milhões de euros, de um total de 50,2 milhões de euros, informou a tutela.

O Ministério da Agricultura, Florestas e Desenvolvimento Rural anunciou que procede esta sexta-feira “ao pagamento de 37,68 milhões de euros a 14.542 agricultores” afetados pelos incêndios que deflagraram a 15 de outubro e que apresentaram declarações de prejuízos entre os 1.054 e os 5.000 euros.

Segundo uma nota do Ministério enviada à agência Lusa, “os agricultores dos concelhos de Oliveira do Hospital, Tondela, Arganil, Santa Comba Dão e Vouzela concentram metade da verba agora atribuída”.

Os 37,68 milhões de euros agora pagos pelo Ministério da Agricultura correspondem a 75% do valor da totalidade do pagamento que será efetuado a estes agricultores (50,2 milhões de euros), sendo que o restante será pago “após a conclusão das ações de controlo, em curso, das candidaturas apresentadas”, explica o gabinete do ministro Capoulas Santos.

De acordo com a tutela, 55% deste valor “é pago diretamente através de transferência bancária para a conta dos agricultores, sendo os restantes 45% pagos por vale postal, no prazo de cinco dias úteis, a 6.650 agricultores que não possuem conta bancária”.

Aos 37,68 milhões de euros agora pagos pelo Ministério da Agricultura acresce o montante de 3,78 milhões de euros, pago pelo Ministério do Trabalho e da Solidariedade Social a 6.025 agricultores que registaram prejuízos até 1.053 euros.

“Na totalidade, o Governo atribui agora o valor de 41,5 milhões de euros a 20.567 agricultores afetados pelos incêndios de 15 de outubro com prejuízos até cinco mil euros”, sublinha a tutela, na nota de imprensa, realçando que tal só foi possível graças à “dedicação dos funcionários do Ministério, assim como o empenho das organizações de produtores e das autarquias envolvidas”.