Uma das vítimas do atropelamento deliberado de um grupo de peões no dia 21 de dezembro, no centro de Melbourne, na Austrália, morreu na noite de sexta-feira, informou a imprensa local. O cidadão australiano de 83 anos, identificado como Antonio Crocaris, é a primeira pessoa a morrer na sequência do ataque que causou 19 feridos de diferentes nacionalidades, seis dos quais continuam hospitalizados.

O atropelamento ocorreu numa movimentada via pedonal perto da estação de comboios Flinders Street, uma rua movimentada do centro de Melbourne, a segunda maior cidade australiana. O incidente provocou 19 feridos.

Atropelamento em Melbourne: não existem indícios de atentado terrorista

Até à data, a polícia australiana imputou 18 acusações por tentativa de homicídio e por colocar em perigo a vida das pessoas a Saeed Noori, um refugiado afegão de 32 anos, com um historial de problemas mentais e de consumo de estupefacientes, que em 21 de dezembro investiu o seu veículo contra duas dezenas de peões no centro de Melbourne, no sudeste do país.

As autoridades disseram que não havia “provas” de que o atropelamento tivesse sido um ato terrorista.