A receita do jogo em Macau em 2017 cresceu 19,1%, para 265,7 mil milhões de patacas (27,5 mil milhões de euros), invertendo uma tendência de queda registada nos três anos anteriores, foi esta segunda-feira divulgado.

Nos 12 meses de 2017, as receitas dos casinos atingiram um total de 265.743 milhões de patacas, de acordo com os dados da Direção de Inspeção e Coordenação de Jogos (DICJ).

Em dezembro manteve-se a tendência positiva registada ao longo do ano, com os casinos a terminarem o mês com receitas de 22.699 milhões de patacas, mais 14,6% relativamente ao período homólogo do ano passado.

Dezembro marcou o 17.º mês consecutivo de subida das receitas da indústria do jogo, principal pilar da economia da Região Administrativa Especial de Macau.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

As receitas dos casinos cresceram sempre a dois dígitos em termos homólogos em 2017, à exceção do primeiro mês do ano (+3,1%).

A indústria de jogo começou a recuperar em agosto de 2016, altura em que terminou um ciclo de 26 meses consecutivos de quedas anuais homólogas das receitas.

As receitas dos casinos de Macau vinham a cair há três anos consecutivos: -3,3%, em 2016, -34,3% em 2015 e -2,6% em 2014.

Macau, capital mundial do jogo, é o único local na China onde o jogo em casino é legal. Operam no território seis concessionárias: Sociedade de Jogos de Macau, fundada por Stanley Ho, Galaxy, Venetian, Melco Crown, Wynn e MGM.