A transportadora aérea espanhola Iberia decidiu suspender os voos entre Madrid e a capital da Guiné Equatorial, Malabo, por falta de rentabilidade da rota aberta em 1941 e que chegou a ter um voo diário, segundo a imprensa espanhola.

A decisão é explicada pelo preço elevado do combustível, as altas taxas aeroportuárias na capital guineense e a concorrência da companhia nacional de transportes aéreos, Ceiba, que também voa para Madrid.

De acordo com fontes citadas pela agência Efe, a transportadora aérea espanhola informou, a 18 de dezembro último, as autoridades guineenses sobre a sua decisão de suspender a rota, que tem três voos semanais de ida e volta, a partir de 22 de janeiro.

A Espanha foi a última potência colonial da Guiné Equatorial, que é o único país da África de língua oficial castelhana, a par da portuguesa e da francesa que, no entanto, não são faladas no território. Em 2014, a Guiné Equatorial foi aceite como um membro de pleno direito da Comunidade de Países de Língua Portuguesa (CPLP).