A diretora-geral de saúde chamou a comunicação social para dar boas notícias sobre a incidência do vírus da gripe em Portugal até ao momento. “A atividade gripal é leve a moderada, neste momento” e o vírus predominante entre os doentes sinalizados está associada a anos de menor impacto da doença. Graça Freitas disse ainda que “a mortalidade está de acordo com o que é habitual nesta época” do ano.

A “reserva estratégica antiviral” que a Direção-geral de Saúde tem disponível — uma espécie de resposta ultra-forte contra os vírus mais resistentes — só foi acionada uma vez, até ao momento. Há 15 doentes sinalizados nas unidades de cuidados intensivos, mas tratam-se de idosos com “múltiplas doenças” associadas e não jovens ou grávidas.

Perante o quadro das últimas semanas e a previsão daquilo que será o restante período de maior incidência da gripe, a diretora-geral de saúde traça uma análise otimista. Ainda que esta seja uma “época de grande pressão sobre os serviços de saúde”, a “atividade está a níveis moderados e a procura [dos serviços de saúde] também está a níveis moderados”, concretizou Graça Freitas em conferência de imprensa.

A responsável sublinhou ainda os números associados à vacinação contra o vírus da gripe, que este ano atingirem níveis recorde. “Nunca vacinámos tanto como este ano”, com mais de “1,3 milhões pessoas” a passar pelo Serviço Nacional de Saúde para receber a vacinação. E isto ainda sem contar com os dados dos lares, onde se encontra parte da população mais suscetível ao vírus.

Apesar destes números, Graça Freitas assegura que os centros de saúde e as farmácias ainda dispõem de vacinas para quem deseje ser vacinado. “Vale sempre a pena porque [a vacina] é segura e eficaz”, sublinhou a diretora-geral de saúde. Na dispersão geográfica, e porque “gripe e frio não se comportam da mesma forma em todo o país”, Graça Freitas explicou que a região norte regista uma atividade “moderada” do vírus e no centro e sul do país a atividade é “leve”. Em suma, “o nosso país está com uma atividade gripal compatível com a da Europa”.