Um médico do Hospital do Divino Espírito Santo, em Ponta Delgada, nos Açores, foi esta quinta-feira condenado a seis anos de prisão por cinco crimes de violação, tendo sido absolvido de uma acusação de importunação sexual.

A condenação foi conhecida esta tarde em Ponta Delgada, no tribunal judicial da maior cidade açoriana.

O médico, de 36 anos, casado e de nacionalidade cubana, foi julgado à porta fechada e terá cometido os crimes em 2016 no serviço de urgências da maior unidade de saúde dos Açores, na ilha de São Miguel.