Um tribunal do Zimbabué libertou “por agora” uma norte-americana acusada de subversão por alegadamente ter definido o antigo presidente, na rede social ‘Twitter’, como um “homem doente”. Martha O’Donovan, natural de New Jersey, enfrenta 20 anos de prisão. Um juiz ordenou a sua libertação após os procuradores não terem conseguido fixar uma data para o julgamento, e retirando-lhe temporariamente as acusações.

Obey Shava, o advogado de O’Donovan, disse à agência noticiosa Associated Press (AP) que a norte-americana ainda poderá ser forçada a regressar a tribunal caso os procuradores considerem a existência de mais provas. No entanto, O’Donovan poderá recuperar o seu passaporte. “Tudo depende do que conseguirem reunir, mas por agora o caso está encerrado. De momento, está livre”, disse Shava, membro dos Advogados do Zimbabué para os direitos humanos (ZLHR).

A norte-americana negou previamente as acusações de insulto ao ex-líder Robert Mugabe, 93 anos, que se demitiu em dezembro sob pressão dos militares e do partido no poder, devido aos receios de que a sua impopular mulher lhe sucedesse na presidência.