O Presidente moçambicano, Filipe Nyusi, destacou esta quinta-feira em Maputo o patriotismo e a dedicação dos profissionais da saúde do país, assinalando que o empenho do setor tem contribuído para a redução de doenças.

“Queremos felicitá-los pelo vosso patriotismo e dedicação”, declarou Filipe Nyusi, durante uma visita ao Banco de Socorros do Hospital Central de Maputo, onde congratulou os profissionais da saúde pelo trabalho que realizaram durante a quadra festiva.

A entrega dos trabalhadores da saúde, prosseguiu, tem resultado na redução de casos de doenças, incluindo a malária e cólera, as que mais mortes causam em Moçambique.

“A situação tem estado a evoluir favoravelmente nos últimos anos, ao nível das doenças que mais óbitos provocam no país”, afirmou.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Realçando como notável a prestação dos quadros da saúde em Moçambique, o chefe de Estado assinalou que a esperança de vida aumentou exponencialmente nas últimas décadas, devido à melhoria das condições de vida e dos cuidados de saúde.

Um balanço divulgado esta quinta-feira pelo Ministério da Saúde indica que 58 foram violadas entre 20 de dezembro e 02 de janeiro em Moçambique.

“Na presente quadra festiva destacaram-se as faixas etárias no intervalo de 0-14 anos como sendo as mais acometidas, com um total de 58 casos, correspondente a 50% de todos os casos de violência sexual”, refere o documento.

Durante este período, as autoridades moçambicanas registaram 115 casos de violência sexual, contra 154 do mesmo período do ano passado.

Não houve registo de mortes como resultado dos casos de violência sexual.

No geral, de acordo com o documento, o Ministério da Saúde de Moçambique registou, entre 20 de dezembro e 2 de janeiro, 8.707 ocorrências, que resultaram em 46 óbitos.

As causas das mortes são principalmente acidentes de viação e agressões, segundo o documento, que destaca uma redução de 1% no número de casos registados pelas autoridades.