Um engenheiro eletrotécnico da empresa de entregas FedEx descobriu o maior número primo alguma vez encontrado: “M77232917”, como foi batizado o número, tem mais de 23 milhões de dígitos e apenas pode ser dividido por 1 ou por ele próprio. O homem que o descobriu chama-se Jonathan Pace, tem 51 anos, é norte-americano e participa num programa de voluntariado chamado Great Internet Mersenne Prime Search (GIMPS), precisamente dedicado à busca de números primos.

Mostrar Esconder

“M77232917” tem precisamente 23.249.425 dígitos e pode ser encontrado através da diferença da potência de 2 pelo número 77.232.917 e 1.

Um número primo é qualquer número que só é divisível por 1 ou por ele próprio, como é o caso do número 2 ou do número 7, por exemplo. Até agora, o maior número primo tinha menos um milhão de dígitos e nem sequer era tão especial quanto este. É que “M77232917” é um número primo de Marsenne: um número natural em que a diferença de uma potência de 2, com um expoente primo, e 1 resulta também ele num número primo. É o caso do 7, do 37 e do 127, por exemplo.

“M77232917” veio à tona porque este engenheiro do estado do Tennesse utilizou um programa gratuito, incluído no projeto em que participava, e teve acesso a “computadores razoavelmente modernos” capaz de pôr o software em causa a funcionar durante seis dias seguidos. É um programa tão poderoso que até conseguiu detetar erros nos processadores da Intel que um utilizador normal nunca teria encontrado. Jonathan Pace já fazia esta busca há 14 anos mas só agora é que conseguiu encontrar este número, o 50º primo de Marsenne conhecido. O anterior tinha sido descoberto em janeiro de 2016, mas o programa já permitiu encontrar outros 16 desde 1996, quando foi criado e disponibilizado ao público.

Jonathan Pace vai ganhar cerca de 2.500 euros graças a esta descoberta, mas o grande prémio vai ser entregue apenas a quem encontrar um número primo com pelo menos 100 milhões de dígitos: quem o fizer tem reservados para si 124,5 mil euros, um valor prometido pela Electronic Frontier Foundation.