A polícia sul-africana anunciou esta sexta-feira a abertura de uma investigação de homicídio involuntário após a colisão de comboio e um camião no centro do país, na quinta-feira, que matou pelo menos 18 pessoas e provocou mais de 250 feridos.

O acidente ocorreu num cruzamento de nível perto de Kroonstad, a 200 quilómetros a sudoeste de Joanesburgo, quando um camião atravessou a linha ferroviária e foi apanhado pelo comboio que se dirigia para Port Elisabeth, no sul do país.

O ministro dos Transportes, Joe Maswanganyi, colocou em causa a responsabilidade do motorista do camião, dizendo aos jornalistas que este “assumiu os riscos” ao fazer a travessia.

“Uma investigação foi aberta por homicídio involuntário, então, cabe ao procurador determinar quem deverá ser processado”, disse esta sexta-feira um porta-voz da polícia da província de Free State, Motantsi Makhele.

Até ao momento, ninguém foi preso neste contexto, acrescentou Makhele.

O motorista de camião, que rebocava dois contentores, foi hospitalizado e passou por um teste de álcool no sangue, de acordo com o ministro dos Transportes.

O choque causou o descarrilamento de várias carruagens, que acabaram por se incendiar, sendo que o comboio transportava mais de 400 passageiros.

O último balanço divulgado na noite de quinta-feira por Mthuthuzeli Swartz, chefe interino da Agência Ferroviária de Passageiros, foi de havia a registar 18 mortos e 254 feridos.

O trabalho de identificação de vítimas vai continuar esta sexta-feira, adiantou o porta-voz da polícia.