Os astros devem estar loucos. Depois da Super Lua que deu as boas vindas ao novo ano, vai haver uma Lua Azul no final de janeiro, um fenómeno raro em que a fase de Lua Cheia ocorre duas vezes no mesmo mês. Trata-se de algo mesmo muito raro: a última vez que aconteceu foi em julho de 2015. Mas é ainda mais especial porque em 2018 vai haver mais uma Lua Azul. Isso não acontecia desde 1999 e só se vai repetir em 2037.

Falando do presente. A primeira noite do ano foi marcada por uma Lua Cheia muito especial: às 22 horas de 1 de janeiro, a Lua esteve no ponto mais próximo da Terra no percurso de translação em redor do nosso planeta. O perigeu fez com que o nosso satélite natural estivesse 14% maior e 30% mais brilhante do que quando está no apogeu, ou seja, no ponto mais distante de nós. A 31 de janeiro às 13h27, a Lua volta a estar cheia porque já terá completado o período de 29 dias e meio em redor da Terra. E ocorre então a Lua Azul.

Em alguns países, no entanto, esta Lua Azul vai ser ainda mais espantosa. Na mesma noite em que a segunda Lua Cheia do mês de janeiro ocorre, vai haver também um eclipse total deste astro porque a sombra da Terra vai tapar o nosso satélite. Esse eclipse vai ser visto em todos os sítios indicados na sombra representada na imagem aqui em baixo. Portugal não está incluída nessa zona sombreada.

Em março, algo muito parecido volta a acontecer: a 2 de março às 00h51, a Lua vai recomeçar um ciclo e portanto estará cheia. Só que logo no final desse mês, a 31 de março, o ciclo lunar vai terminar e a a Lua Cheia vai regressar às 12h37. Ocorre a Lua Azul de março, a segunda e última do ano. Para que tal volte a acontecer teremos de esperar 19 anos.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Um esclarecimento: a Lua Azul não é propriamente azul. É uma Lua Cheia como outra qualquer, mas só recebe esse nome especial porque representa um fenómeno que é tudo menos comum.

Os cientistas julgam que foi batizada com esse nome em 1883, quando a erupção do vulcão Krakatoa (Indonésia) lançou gases para atmosfera que fizeram com que a lua, quando estava próxima do horizonte, parecesse estar azulada. Algo semelhante aconteceu em 1980 com a erupção do Monte de Santa Helena (Estados Unidos), em 1983 com a erupção do vulcão El Chichón (México) e em 1991 com a explosão do vulcão Monte Pinatubo (Filipinas). Também há relatos de uma lua aparentemente azulada em 1951 durante um grande incêndio no Canadá: os gases libertados para a atmosfera terão feito com que, nos Estados Unidos, as pessoas vissem uma lua azulada.