No ano a seguir às eleições autárquicas, 52 autarquias vão baixar a taxa de Imposto Municipal de Imóveis (IMI) cobrada nos seus concelhos. O número é avançado pelo Dinheiro Vivo que acrescenta que a maioria das autarquias já está a praticar a taxa mínima de 0,3%, tendo 234 concelhos mantido as mesmas taxas.

Entre o número de câmaras que decidiu mexer nas taxas apenas nove optou por agravar o IMI, de acordo com os dados do Portal das Finanças consultados pelo Dinheiro Vivo que mostra o mapa das subidas e descidas deste imposto que vão ser aplicadas este ano.

As novas taxas vão começar a sentir-se em abril, quando os contribuintes recebem a primeira prestação do imposto para pagar. Mas em alguns casos, as descidas são quase simbólicas, como Arruda dos Vinhos que baixou o IMI de 0,389% para 0,385%. Já Celorico da Beira protagoniza uma das maiores descidas, baixando a sua taxa de 0,5% para 0,4%.

Ainda de acordo com o levantamento feito pelo Dinheiro Vivo, há cada vez mais autarquias a permitirem descontos no IMI aos residentes que têm dependentes. São já 232.

As autarquias podem variar a taxa de IMI que cobram entre os 9,3% e os 0,45%, mas em caso de desequilíbrio financeiro, como se verifica, por exemplo, em Portimão e Santarém, a taxa tem de estar no valor máximo de 0,5%.