A IURD — Igreja Universal do Reino de Deus — mostrou-se totalmente disponível para “cooperar” com a Procuradoria Geral da Republica (PGR) e com o Conselho Superior de Magistratura (CMS) para se descobrir a “verdade” relativamente a ” processos de adoção ocorridos há cerca de 20 anos”, que estão a ser investigados como ilegais, depois das denúncias de uma reportagem da TVI.

Total disponibilidade para cooperar com aquelas duas entidades judiciais em todos os atos que se mostrem necessários à descoberta da verdade nomeadamente através de esclarecimentos que tiver por convenientes”, pode ler-se num comunicado emitido esta terça-feira.

De acordo com o comunicado, a IURD garante ainda que irá facultar “o que for requisitado” e irá praticar “os atos que forem determinados. “Para a IURD é essencial a conclusão clara e tão breve quanto possível destes inquéritos”, pode ler-se ainda no comunicado.

A IURD congratula-se relativamente à abertura de um inquérito pela PGR à atuação do próprio Ministério Público quando esteve envolvido nos processos de adoção “bem como a recolha pelo CMS de todos os elementos pertinentes das decisões judiciais”.