Rádio Observador

Hyundai

Nexo é 100% eléctrico, mas a célula de hidrogénio

534

A Hyundai aposta num veículo 100% eléctrico que não necessita de ser ligado à rede e abastece rapidamente. É o Tucson FCV, o SUV a célula de combustível a hidrogénio, agora denominado Nexo.

Autor
  • Francisco António

A Hyundai, construtor sul-coreano que tem sido um dos principais impulsionadores da solução de mobilidade eléctrica com base na célula de combustível a hidrogénio, revelou no Consumer Electronics Show (CES) de Las Vegas, o mais importante evento de tecnologia realizado no continente americano, a segunda geração do Tucson FCV (de Fuel Cell Vehicle). Proposta a hidrogénio que, a partir de agora, se passa a chamar Nexo e a incluir uma série de novidades em termos de equipamento, além de melhorias nas prestações e autonomia.

Um veículo alimentado por célula de combustível (FCV), ou fuel cell, é um carro tão eléctrico e amigo do ambiente quanto os outros. Aliás, até é melhor do que os vulgares automóveis eléctricos alimentados por bateria. Isto porque se ambos são impulsionados por motores eléctricos, os FCV têm a vantagem de produzir a bordo a sua própria electricidade, sem ter de se ligar à rede e consumir uma energia que nem sempre é “muito limpa”, dado que muitas vezes é produzida a partir da queima de carvão, petróleo ou gás natural, como acontece por exemplo em Portugal. Da energia produzida num FCV, que a gera ao associar o hidrogénio que está armazenado no depósito, ao oxigénio que existe na atmosfera, apenas resulta uma emissão de água pura e, para cúmulo, quentinha.

Descrito como uma bandeira tecnológica, a encimar uma estratégia que prevê o lançamento de 18 propostas mais amigas do ambiente até 2025, o Hyundai Nexo tem por base uma nova arquitectura, além de um motor eléctrico com uma potência máxima de 163 cv e 349 Nm de binário. Que, entre outras mais-valias, lhe permite acelerar de 0 a 100 km/h em 9,5 segundos, ou seja, em menos 3 segundos que o antecessor. As melhorias fazem-se sentir igualmente na autonomia, com a nova geração deste SUV a hidrogénio a poder percorrer 595 km com um só depósito, ou seja, mais 169 km que anteriormente.

Para que o Nexo possa ser uma alternativa real aos carros eléctricos a bateria, é necessário que exista uma rede de distribuição de hidrogénio, o que em Portugal ainda não acontece. Além do hidrogénio ser passível de ser produzido por qualquer país do mundo, o que será um aborrecimento para o lobby do petróleo, uma rede é bem menos complexa e dispendiosa de construir do que a eléctrica, podendo funcionar paralelamente à já existente para a gasolina e o diesel.

Com comercialização agendada já para este ano, embora em apenas alguns mercados do globo (algo que já acontecia com o modelo antigo), o novo SUV a pilha de combustível regista ainda um importante incremento em termos de tecnologias de assistência à condução. Como é o caso do aviso de ângulo morto, através do recurso não apenas a sensores, mas também a câmaras exteriores, cujas imagens são projectadas no ecrã da consola central.

O Nexo promete ser igualmente o primeiro Hyundai a disponibilizar a funcionalidade Lane Folllowing Assist, sistema que, de acordo com o fabricante, consegue ao actuar sobre a direcção, mantendo o SUV no centro da faixa de rodagem em que circula. Também interessante é a função Highway Driving Assist, que utiliza sensores e informações do sistema de navegação, de forma a ajustar automaticamente a velocidade do carro ao tipo de via.

O Nexo estreia ainda o sistema Remote Smart Parking Assist, o qual permite ao condutor remotamente parquear (ou retirar) o veículo, num espaço de estacionamento. Com a Hyundai a não revelar muito sobre a forma ou processo como tudo acontece, dizendo apenas que, “quando confrontados com um cenário de parqueamento difícil, os condutores do Nexo vão poder estacionar com total confiança e precisão”.

Pesquisa de carros novos

Filtre por marca, modelo, preço, potência e muitas outras caraterísticas, para encontrar o seu carro novo perfeito.

Pesquisa de carros novosExperimentar agora

Não queremos ser todos iguais, pois não?

Maio de 2014, nasceu o Observador. Junho de 2019, nasceu a Rádio Observador.

Há cinco anos poucos acreditavam que era possível criar um novo jornal de qualidade em Portugal, ainda por cima só online. Foi possível. Agora chegou a vez da rádio, de novo construída em moldes que rompem com as rotinas e os hábitos estabelecidos.

Nestes anos o caminho do Observador foi feito sem compromissos. Nunca sacrificámos a procura do máximo rigor no nosso jornalismo, tal como nunca abdicámos de uma feroz independência, sem concessões. Ao mesmo tempo não fomos na onda – o Observador quis ser diferente dos outros órgãos de informação, porque não queremos ser todos iguais, nem pensar todos da mesma maneira, pois não?

Fizemos este caminho passo a passo, contando com os nossos leitores, que todos os meses são mais. E, desde há pouco mais de um ano, com os leitores que são também nossos assinantes. Cada novo passo que damos depende deles, pelo que não temos outra forma de o dizer – se é leitor do Observador, se gosta do Observador, se sente falta do Observador, se acha que o Observador é necessário para que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia, então dê o pequeno passo de fazer uma assinatura.

Não custa nada – ou custa muito pouco. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)