Uma série de oito terramotos atingiu esta quinta-feira a zona da fronteira Irão-Iraque, tendo quatro pessoas sofrido ferimentos ligeiros no Irão, segundo a televisão estatal — serão réplicas do sismo que atingiu a zona em novembro e que matou mais de 530 pessoas.

O Serviço Geológico dos Estados Unidos (USGS) disse que sete dos terramotos ocorreram perto da cidade iraquiana de Mandali, a 120 quilómetros a nordeste da capital, Bagdad. Mandali está na fronteira dos dois países. O oitavo terramoto ocorreu perto de Mehran, no oeste do Irão, a cerca de 90 quilómetros a sudeste de Mandali, nas montanhas Zagros que dividem Irão e Iraque.

Os abalos registaram-se com uma diferença de uma hora entre eles, a partir das 06h59 (hora de Lisboa). Seis foram de magnitude de pelo menos 5 (considerados pelos cientistas como moderados) e dois de magnitude 4. O hipocentro de todos os terramotos situou-se a 10 quilómetros de profundidade, segundo o USGS.

Em novembro, um sismo de magnitude de 7,3 atingiu a mesma região, matando mais de 530 pessoas e ferindo milhares apenas no Irão. No Iraque, nove pessoas morreram e 550 ficaram feridas.

O Irão é atravessado por várias falhas sísmicas, registando com frequência terramotos de proporções devastadoras. Em 2003, um sismo de magnitude 6,6 atingiu a cidade histórica de Bam, causando 26 mil mortos, um quarto da população.

Esta quinta-feira, o USGS disse que um terramoto de magnitude 4,9 atingiu a província de Kerman, no sul do Irão, antes do amanhecer, enquanto outro tremor de terra de magnitude 4,6 tinha atingido a província de Kermanshah (oeste) na noite de quarta-feira. Não foram relatados feridos ou danos.