Assédio Sexual

Orquestra rescinde com maestro Charles Dutoit depois de casos de assédio sexual

O maestro suíço Charles Dutoit abandonou o cargo de principal maestro da Orquestra Filarmónica Real de Londres, em consequência da denúncia de vários casos de assédio sexual.

ROBERT GHEMENT/EPA

O maestro suíço Charles Dutoit abandonou o cargo de diretor artístico e principal maestro da Orquestra Filarmónica Real de Londres, em consequência da denúncia de vários casos de assédio sexual, anunciou a orquestra. Em comunicado, explica que a rescisão foi decidida pela administração, “porque a presença do maestro na orquestra se tornou insustentável”.

No verão passado, ainda antes de terem sido conhecidas as denúncias de assédio sexual, Charles Dutoit, de 81 anos, tinha anunciado que sairia da orquestra em outubro de 2019, mas a decisão tomada agora pela administração tem efeitos imediatos.

Em dezembro, a agência noticiosa Associated Press revelou que três cantoras líricas e uma instrumentista foram vítimas de assédio sexual e comportamento inadequado por parte do maestro Charles Dutoit, entre 1985 e 2010, em várias cidades norte-americanas. De imediato, Charles Dutoit e a Orquestra Filarmónica Real de Londres anunciaram que suspendiam relações, para que o maestro pudesse “ter uma oportunidade justa de procurar aconselhamento legal e contestar as acusações”. Na altura, outras seis orquestras, de Nova Iorque, Chicago e Cleveland, anunciaram também terem suspendido a colaboração com o maestro para futuras atuações.

A Orquestra Filarmónica Real de Londres voltou a sublinhar que está comprometida “com os mais elevados padrões de comportamento ético” e que quer ter um ambiente de trabalho “seguro para todos os artistas, músicos e trabalhadores”.

Este é o segundo caso de acusação pública de assédio sexual, nos dois últimos meses, no universo da música clássica, depois de, no início de dezembro, a Metropolitan Opera ter suspendido o maestro James Levine de funções, por acusações de comportamento impróprio.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Casas

O verdadeiro problema das casas

Rui Ramos

O corrente pânico com o preço das casas expressa esta verdade, que a nossa oligarquia se esforça por esconder: o país passa por uma prosperidade que não é para todos. 

Proteção de Dados

Erre gê pê quê?

Catarina Dornelas Pinheiro

Faltam poucos dias para a entrada em vigor do Regulamento Geral da Proteção de Dados e talvez só as grandes empresas estejam preparadas - do lado dos Ministérios só se houve um silêncio ensurdecedor.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Ligue-se agora via

Facebook Google

Não publicamos nada no seu perfil sem a sua autorização. Ao registar-se está a aceitar os Termos e Condições e a Política de Privacidade.

Detalhes da assinatura

Acesso ilimitado a todos os artigos do Observador, na Web e nas Apps, até três dispositivos.

E tenha acesso a

  • Comentários - Dê a sua opinião e participe nos debates
  • Alertas - Siga os tópicos, autores e programas que quer acompanhar
  • Guardados - Guarde os artigos para ler mais tarde, sincronizado com a app
  • Histórico - Lista cronológica dos artigos que leu unificada entre app e site

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Inicie a sessão

Ou registe-se

Ao registar-se está a aceitar os Termos e Condições e a Política de Privacidade.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)