Um “idiota de m****”, um “c*****”, “um bebé” a mandar na Casa Branca. Num discurso desbragado, o ator Robert de Niro comparou a Donald Trump e a sua administração às tentativas do ex-presidente Richard Nixon de controlar a imprensa — tentativas retratadas no filme The Post, de Steven Spielberg, que estreia nas próximas semanas.

Foi no momento em que chamou ao palco a co-protagonista desse filme, Meryl Streep, que Robert de Niro se lançou numa das suas tiradas anti-Trump mais preenchidas com palavrões e adjetivos depreciativos. Foi numa gala dos National Board of Review Annual Awards, e a CNN recebeu um vídeo do evento em que o Taxi Driver aparece a bombardear o presidente dos EUA com um chorrilho de… desconsiderações.

“O nosso bebé-aos-comandos, o c*****-aos-comandos [jerk off-in-chief], como lhe chamo, colocou a imprensa sob cerco, ridicularizando os jornalistas e tentando desacreditá-los através de ataques revoltantes e mentiras”, acusou De Niro.

Mas o ator não se ficou por aí. “Esse idiota de m**** é o presidente. É o Rei-Vai-Nu, este gajo é um idiota de m****” está a tentar, na opinião de De Niro, fazer aquilo que Nixon também terá tentado fazer, segundo os acontecimentos retratados na película em que Meryl Streep contracena com Tom Hanks, um ator que há alguns meses ofereceu uma máquina de café aos jornalistas da sala de imprensa da Casa Branca, acompanhada de uma mensagem de incentivo na “luta pela verdade”.

Esta está longe de ser a primeira vez que De Niro mostra, sem rodeios, a sua opinião sobre o magnata que foi eleito presidente dos EUA em novembro de 2016. Um mês antes das eleições das quais Trump saiu vitorioso, o ator comentou que gostaria de “dar um murro na cara” ao então candidato presidencial.