O grupo Fiat Chrysler vai investir mais de 1.000 milhões de dólares nos Estados Unidos e transferir a produção de veículos pesados no México, para o Michigan, em 2020, criando cerca de 2.500 empregos.

Em comunicado, divulgado na quinta-feira, o grupo Fiat Chrysler explicou que o investimento na fábrica de montagem dos modelos Warren, no estado do Michigan, e a transferência da produção da Ram Heavy Duty de Saltillo (México), tem lugar graças à reforma fiscal aprovada por Washington em finais do ano passado.

O Presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, já reagiu ao anúncio do grupo Fiat Chrysler, com uma mensagem na rede Twitter em que agradece à empresa pela “decisão muito sábia”. “A Chrysler está a transferir uma enorme fábrica do México para o Michigan, invertendo muitos anos de tendência oposta”, afirmou Trump.

“Os eleitores do Michigan estão muito contentes por ter votado Trump/Pence”, destacou. Trump prometeu ainda que “muito mais virá no futuro”.

O fabricante automóvel indicou que a fábrica de montagem de Saltillo “vai ser reacondicionada no futuro para produzir veículos comerciais para distribuição global”, sem especificar que viaturas em concreto vão ser montadas nas instalações no México.

O grupo também assinalou que vai oferecer um pagamento extra de 2.000 dólares (cerca de 1.650 euros) aos cerca de 60 mil trabalhadores da empresa nos Estados Unidos, excluindo diretores.

“O pagamento, que reconhece os funcionários pelo seu contínuo compromisso para com o sucesso da empresa, vai ser efetuado no segundo trimestre deste ano e somar-se-á a qualquer participação nos lucros e bónus de resultados que poderão receber em 2018”, explicou a empresa.

“Estes anúncios refletem o nosso compromisso com a nossa estrutura manufatureira nos Estados Unidos e os dedicados empregados que contribuíram para o sucesso da FCA”, afirmou o seu presidente, Sergio Marchionnne.