A agência de análise de risco Standard and Poor’s baixou esta quinta-feira a classificação do Brasil num escalão, de ‘BB’ para ‘BB-‘, com “perspetiva estável”, devido ao atraso na aprovação do ajuste fiscal e da reforma das pensões.

A Standard and Poor’s refere que “uma das principais fraquezas” do Brasil é o atraso na aprovação do ajuste fiscal, que permita acabar com o crónico e avultado défice nas contas públicas. “Apesar dos vários avanços feitos pela administração (do Presidente Michel) Temer, o Brasil fez progressos mais lentos do que o esperado na implementação de legislação significativa para corrigir a derrapagem fiscal estrutural e o aumento dos níveis de endividamento”, argumentou a agência.

Além disso, observou que “a incerteza” em relação às eleições presidenciais previstas para outubro de 2018 agrava esse cenário. No entanto, agência modificou a perspetiva de “negativa” para “estável”, isto é, sem previsões de reduções futuras na nota, devido ao “perfil externo comparativamente sólido do Brasil e à flexibilidade e credibilidade de sua política monetária e cambial”.

O Ministério das Finanças do Brasil disse, em comunicado, que o Governo mantém o seu compromisso de “consolidação fiscal”, que deve avançar “com a agenda de reformas em debate no Congresso Nacional”, bem como com a “melhoria da produtividade e a retoma do crescimento”.

“O Governo reforça o seu compromisso de aprovar medidas como a reforma das pensões”, entre outras, para “assegurar o crescimento sustentável da economia brasileira e o equilíbrio fiscal a longo prazo”, acrescenta o documento.